PUBLICIDADE

Jogos Olímpicos: pode pódio duplo? Veja o empate inusitado em prova de salto em altura

Há mais de 100 anos não pintava um título dividido no atletismo dos Jogos Olímpicos; veja como foi possível

3 ago 2021 13h43
ver comentários
Publicidade
Shutterstock_1087308926 (1)
Shutterstock_1087308926 (1)
Foto: Shutterstock / Sport Life

Tóquio com certeza já entrou para a história dos Jogos Olímpicos mais emocionantes. No último domingo, 1 de Agosto, os atletas Mutaz Essa Barshim, do Catar, e Gianmarco Tamberi, da Itália, comoveram o cenário olímpico ao optarem por dividir o primeiro lugar na prova de salto em altura. 

Os competidores saltaram 2,37 metros e foram bem-sucedidos. Mas, quando chegaram aos 2,39 metros, tiveram três falhas cada um. Foi então que o juiz da prova ofereceu um desempate para definir quem ficaria com o pódio.

Mas o corredor catariano perguntou ao oficial se podia ter dois ouros. A resposta foi um aceno positivo muito comemorado pelos atletas que estavam em busca do ouro há muito tempo, pois tiveram que superar lesões graves em suas carreiras. O italiano Tamberi, por exemplo, foi eliminado das Olimpíadas do Rio 2016 ao sofrer uma lesão que ameaçou a sua carreira.

A última vez que algo parecido ocorreu no atletismo foi há mais de 100 anos, em 1912, quando o americano Jim Thorpe e o norueguês Ferdinand Bie terminaram em primeiro no pentatlo na Olimpíada de Estocolmo. 

O feito é importante para enaltecer a importância do espírito olímpico e dar atenção à questão, por exemplo, da desistência da norte-americana Simone Biles de provas dos Jogos, para cuidar de sua saúde mental. Devido ao isolamento social, muitos atletas passaram por dificuldades até conseguir competir nas Olimpíadas de Tóquio.

Fonte: CNN Brasil

Sport Life
Publicidade
Publicidade