PUBLICIDADE

Cupuaçu engorda? Como aproveitar os benefícios da fruta

Essa fruta amazônica também ganhou popularidade nas demais regiões do país

3 mai 2023 - 13h00
(atualizado às 21h01)
Compartilhar
Exibir comentários

Cupuaçu é de origem da língua tupi (kupu = que parece com o cacau + uasu = grande). Trata-se do tipo de fruta versátil, ou seja, a sua polpa serve para produções de sucos, doces, geleias, iogurtes, balas e as suas sementes para fabricar chocolate branco.

O seu consumo desperta dúvida principalmente para quem não vive na região norte, exemplo: cupuaçu é ácido?

A verdade sobre acidez e calorias no cupuaçu

"Sim. Sua polpa tem em média pH menor que 4,00, sendo classificado como muito ácido. As análises das polpas do fruto revelam uma concentração de acidez total titulável de 1,28 a 2,31% de ácido cítrico, extremamente rico em ácido ascórbico (100g/18,00mg) e antioxidantes", disse com exclusividade para o Sport Life a nutricionista da Science Play Tereza Beatriz Oliveira.

Cupuaçu já faz parte do cardápio de muitas lanchonetes e quiosques pelo Brasil afora. Semelhante ao açaí, os acompanhamentos com leite ou chocolate o deixam como uma "bomba" calórica porque deve-se levar em consideração os seus respectivos pesos calóricos, que só aumentariam esse teor.

"Quando tomado como suco é extremamente menos calórico e natural. Como apresenta ácidos graxos essenciais, o cupuaçu ajuda na redução do LDL (Lipoproteínas de baixa densidade), síntese da gordura e isso contribui ajudando no aumento da energia e na queima da gordura. Torna-se calórico quando consumido como bala, doce e sobremesas", pontuou Tereza Beatriz.

Qual é a quantidade diária e semanal recomendada de cupuaçu?

"O ideal é não abusar. 200g de polpa já fazem um delicioso suco ou uma porção de doce. Como todo e qualquer alimento, nada em excesso é bom. A acidez da polpa é que vai modular esse consumo. Inclusive, para quem tem hipocloridria é boa alternativa de ajuda. No interior é usado como remédio para má digestão. Como a fruta precisa ser adoçada para consumo pela maioria, isso aumentaria em muito o consumo de açúcares trazendo outros prejuízos ao perfil glicêmico", respondeu a nutricionista.

A sua utilidade no esporte

A recomendação é para que se consuma o cupuaçu depois do treino. Afinal, sua capacidade antioxidante e anti-inflamatória repara o tecido que trabalhado e contribui com os seus nutrientes no "ajuste".

"O fruto é rico em antioxidantes, aminoácidos, polifenóis, vitamina A, vitamina C e vitaminas do complexo B, além de selênio, ferro, fósforo, cálcio e outros minerais acelerando o metabolismo para perda de gordura e regeneração. Na dor pelos antioxidantes, antigamente o consumo de cupuaçu pelos indígenas tinha o objetivo de aliviar dores abdominais e até mesmo as contrações do parto", justificou Oliveira.

Açaí x cupuaçu: qual é o mais saudável?

"Apesar de ambos serem antioxidantes, possuem propostas diferentes. Por serem ricos em flavonoides e carotenoides, combatem os radicais livres. Ambos têm excelente composição de minerais, vitaminas e bioativos. Talvez o recomendável seja consumi-los dentro da safra, pois estarão mais ricos em nutrientes, mesmo que congelados", terminou a profissional.

O veto

Fica "proibida" a ingestão de cupuaçu para pessoas com problemas de acidez no estômago. Como, por exemplo, pacientes renais crônicos, devido ao alto teor de fósforo, cálcio e outros minerais.

Cupuaçu - Shutterstock
Cupuaçu - Shutterstock
Foto: Sport Life
Sport Life
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade