PUBLICIDADE

Enxoval: 7 aspectos a se considerar ao reaproveitar itens de segunda mão

Vai utilizar itens doados ou comprados em brechó? Veja o que os especialistas indicam para selecionar, higienizar e garantir o bem estar do seu bebê.

16 jan 2022 14h05
ver comentários
Publicidade

A busca por um estilo de vida mais sustentável e consciente, economia a curto e longo prazo, praticidade... São diversos os motivos que fazem com que pais e mães optem por reaproveitar itens de enxoval já usados por outros bebês, seja na chegada do segundo ou terceiro filho, seja após o nascimento do primogênito.

gaveta-roupa-bebe-enxoval
gaveta-roupa-bebe-enxoval
Foto: Future Artist/Getty Images / Bebe.com



A prática não é de hoje, e pode ser bastante vantajosa quando feita com cuidado. Isso porque, por mais que o reaproveitamento de peças de roupa, objetos de uso diário e brinquedos de segunda mão seja algo fácil de colocar em ação, alguns aspectos devem ser levados em conta - e de preferência, antes mesmo de a criança nascer.



Conversamos com Lory Buffara, consultora de enxoval da Mommys Concierge, e Gabriel Farias da Cruz, médico pediatra do Hospital Icaraí e do Hospital e Clínica São Gonçalo e, a seguir, listamos

o que deve ser considerado na hora de reaproveitar itens

para o bebê - tanto aqueles comprados em brechós, quanto os herdados por outros membros da família ou amigos.


1. Comece pela seleção dos produtos


Primeiro, inicie com uma seleção prévia,

priorizando itens de doação de conhecidos

àqueles adquiridos em brechós e sites especializados. Para isso, convoque amigos e familiares que são pais e mães de crianças pequenas, e veja se eles têm interesse em te ajudar na composição do enxoval de segunda mão.



Lory recomenda, nesta etapa, o reaproveitamento apenas de itens seminovos, que estejam em ótimo estado: caso contrário, eles podem acabar causando problemas para o bebê, que vão desde alergias de pele a acidentes domésticos.



Peças de roupa nos tamanhos PP e RN, por exemplo, costumam ser ótimas para serem adquiridas de conhecidos, já que não foram usadas pelo bebê por muito tempo e geralmente estão em boas condições. Só certifique-se de que não estejam descosturadas, rasgadas ou com 'bolinhas' no tecido.



A partir daí, você conseguirá ter uma boa noção sobre em quais itens você vai precisar, de fato, investir. Se o seu desejo for de montar um enxoval todinho reciclado, este é o momento de recorrer aos

brechós online especializados em bebês e crianças

, que contam, inclusive, com lotes de produtos variados já prontos para compra. Além disso, as empresas costumam conferir a qualidade de cada um deles antes de colocá-los para revenda, o que acaba proporcionando ainda mais segurança.




2. Descarte itens que não devem ser reaproveitados!


Ao selecionar, dentre as doações, os itens do enxoval a serem utilizados, e antes mesmo de comprar produtos de segunda mão de lojas e brechós diversos, atente-se àqueles que, segundo Gabriel, não devem ser reaproveitados de jeito nenhum.



Entre eles estão os de

higiene pessoal

, como escovinhas dentárias e de cabelo, bem como limpadores de língua e chupetas (apesar de o uso de objetos com bico não ser recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria).



Para Lory, deve-se tomar cuidado com

remédios e cosméticos

, cuja validade precisa ser checada com antecedência, e, ainda, roupas e toalhas desgastadas ou muito manchadas. Sobre as mamadeiras, vale trocar os bicos por novos somente caso a estrutura esteja em muito bom estado - caso contrário, é sempre melhor optar pelas novas.



Itens de alimentação

, diz a consultora, também são delicados quando usados por mais de uma criança, e a recomendação é de, neste caso, adquirir novos.




3. Foque em produtos com alta durabilidade




Em tempos de crise, opina Gabriel, economizar com produtos de qualidade e segurança para as crianças nunca é demais. Não à toa, entre os itens para um enxoval de segunda mão mais procurados estão os de maior durabilidade ao longo dos anos, como

carrinhos de bebê, bebê conforto e cadeiras para refeições

. Além de, muitas vezes, passarem de geração para geração, as peças costumam ser fáceis de limpar.



"Algo muito importante para se atentar é sobre a validade dos produtos, principalmente quando falamos sobre a cadeirinha do carro ou o bebê conforto. Se você for uma pessoa que gosta de ir mais a fundo na pesquisa, cheque se os itens mais importantes do seu enxoval possuem algum recall", recomenda ela, ao opinar que, hoje em dia, produtos para bebês estão cada vez mais tecnológicos e desenvolvidos, e muitas vezes algo muito antigo pode não ser uma boa opção.




4. Faça a limpeza correta


O ideal na hora de limpar os produtos para o enxoval de segunda mão é investir em

produtos de limpeza específicos para o público infantil

. Dentro desse nicho, é possível encontrar desde soluções para higienização de objetos como carrinhos e brinquedos até de lavagens de roupas e limpeza de calçados.



Lory recomenda os orgânicos, que não prejudicam a saúde da criança. "O ideal é higienizar bem o produto e esterilizar. Se for algo maior, uma boa passada de álcool 70% já remove a sujeira", complementa ela. Agora, se o item permitir lavagem com água, lembre-se de enxaguar bem, deixar secar sob o sol e onde tenha circulação de ar. 



Gabriel reforça ao dizer que objetos grandes precisam ser limpos com o uso de produtos de solução desinfetante neutra, que

não causem alergias no bebê

, mas que também não deixem a desejar na limpeza. Dessa forma, evita-se o acúmulo de fungos e bactérias, capazes de causar danos à saúde da criança. 




5. Cuide do armazenamento dos itens


Além da limpeza, a maneira como os produtos de segunda mão serão armazenados em casa também afeta a durabilidade e qualidade de cada um deles. Isso porque, diz Gabriel, muitas vezes, por excesso de zelo e cuidado, pais e mães acabam guardando os itens em caixas fechadas, dentro do guarda-roupa, o que pode ser bastante prejudicial.



"Ambientes fechados e desprovidos de luz e de ar, com certa umidade, são bastante propícios para a proliferação de bactérias e fungos. Isso pode prejudicar a criança na hora do uso, desencadeando até mesmo quadros respiratórios e alérgicos", pontua o médico.



Procure, então,

não deixar que os produtos fiquem fechados dentro do armário por longos períodos

, e antes de usá-los, faça a higienização e deixe-os expostos em locais mais arejados e de acesso à luz natural.






6. Preze pela qualidade


Como já dissemos, encontrar produtos usados capazes de compor o seu enxoval não é uma tarefa tão difícil, já que há grande oferta presencial ou virtual.  De qualquer maneira, tanto Lory quanto Gabriel concordam que os itens devem ser, antes de tudo, de boa qualidade, o que muitas vezes significa um

preço um pouco mais alto, mesmo nas peças de segunda mão

: de maneira geral, esse tipo de item é mais resistente, garante durabilidade ao longo dos anos e, ainda, permite uma próxima doação ou venda futura quando o seu bebê estiver maiorzinho.



Portanto, não compre ou use, de forma alguma, carrinhos e cadeirinhas de bebê danificados ou quebrados, que podem causar acidentes com a criança, como lesões e traumas. O bom cuidado e a precaução são sempre as melhores opções!




7. Faça o seu enxoval durar


Já se a sua intenção é fazer que o seu enxoval, mesmo que de segunda mão, dure para um próximo filho ou para recirculação, além das dicas já mencionadas, o ideal é investir em

itens de cores neutras e sem estereótipos de gênero

, além de passar longe de temas muito datados, como personagens de filmes e desenhos atuais.



No mais, priorize produtos multifuncionais, fuja dos bordados e personalizações e valorize a praticidade frente à quantidade. Poucos produtos duráveis e de uso diverso, a longo prazo, costumam compensar bem mais do que múltiplos itens infantis cuja função você desconhece.



[abril-whatsapp][/abril-whatsapp]

Bebe.com
Publicidade
Publicidade