PUBLICIDADE

6 tipos de chás que grávidas devem evitar consumir

Nutricionista explica os riscos que eles podem causar e lista opções seguras para as gestantes

24 abr 2024 - 17h31
(atualizado às 18h15)
Compartilhar
Exibir comentários
Nem todos os tipos de chás podem ser consumidos pelas mulheres grávidas
Nem todos os tipos de chás podem ser consumidos pelas mulheres grávidas
Foto: Monkey Business Images | Shutterstock / Portal EdiCase

Seja para relaxar, aquecer o corpo ou simplesmente para saborear, o chá é uma bebida natural que traz diversos benefícios para a saúde e bem-estar. Durante a gravidez, principalmente por causa dos enjoos costumeiros, é muito comum que mulheres optem por fazer uso desse tipo de bebida.

Por isso, Natalia Barros, nutricionista mestre em Ciências pela UNIFESP e fundadora da NB Clinic, lista algumas opções que podem ser seguras para as gestantes e aquelas que devem ser evitadas. No entanto, lembre-se de consultar um médico antes de consumi-las, a fim de confirmar a segurança para a mãe e para o bebê.

10 dicas para consumir chás de plantas medicinais com segurança 10 dicas para consumir chás de plantas medicinais com segurança

Pode ser consumido durante a gravidez

1. Chá de gengibre

Amplamente conhecido por sua capacidade de aliviar náuseas e vômitos, sintomas comuns durante a gravidez. Além disso, estudos têm demonstrado que o gengibre é seguro quando consumido em quantidades moderadas durante a gestação.

Acredita-se que seus compostos ativos, como os gingeróis, exerçam efeitos antieméticos e anti-inflamatórios. No entanto, é importante salientar que o consumo excessivo de gengibre pode aumentar o risco de sangramento, devido às suas propriedades antiplaquetárias.

2. Chá de casca de frutas

Chás de casca de maçã, pêssego ou laranja são geralmente considerados seguros durante a gravidez. Além de oferecerem uma variedade de vitaminas e antioxidantes, são pobres em cafeína e, portanto, representam uma opção menos arriscada para as gestantes. No entanto, é importante não exagerar no consumo, uma vez que cascas de frutas cítricas são capazes de contribuir para sintomas de azia em algumas mulheres.

O chá de camomila deve ser evitado durante a gestação
O chá de camomila deve ser evitado durante a gestação
Foto: Brent Hofacker | Shutterstock / Portal EdiCase

Chás a serem evitados durante a gestação

Segundo Natalia Barros, alguns chás contêm ervas prejudiciais, que afetam os hormônios e o desenvolvimento do feto. Além disso, ela alerta que essas bebidas não devem entrar como substitutos da hidratação.

"A água é fundamental durante a gestação para manter a hidratação adequada e garantir o desenvolvimento saudável do bebê. O consumo excessivo de chás pode levar a uma ingestão insuficiente de água", alerta.

Abaixo, a profissional lista os tipos de chás que podem oferecer perigo às gestantes.

1. Chá de camomila

Apesar de a camomila ser frequentemente recomendada como um calmante natural, seu uso durante a gravidez é motivo de preocupação. Alguns estudos sugerem que a camomila, quando consumida em quantidades elevadas, tem propriedades abortivas e emenagogas, ou seja, que estimulam a menstruação e o relaxamento uterino, podendo aumentar o risco de abortos. Pesquisas mostraram maiores indícios de aborto espontâneo e partos prematuros nas gestantes que faziam o uso constante da camomila.

2. Chá verde

Fonte rica em catequinas e cafeína, que, consumida em excesso durante a gestação, pode estar associada a complicações como parto prematuro e baixo peso ao nascer. Logo, bebidas contendo chá verde devem ser evitadas.

O chá de erva-doce pode estimular contrações uterianas na gravidez
O chá de erva-doce pode estimular contrações uterianas na gravidez
Foto: HandmadePictures | Shutterstock / Portal EdiCase

3. Chá de erva-doce

A erva-doce é frequentemente utilizada para aliviar problemas digestivos. No entanto, seu consumo em grandes quantidades pode estimular as contrações uterinas, o que levanta preocupações sobre seu uso durante a gravidez.

4. Chá de erva-cidreira e mate

Ambos contêm cafeína, o que torna seu consumo desaconselhável durante a gravidez, uma vez que o composto é capaz de afetar o desenvolvimento do sistema nervoso e aumentar o risco de parto prematuro.

Natalia Barros ressalta a importância do acompanhamento nutricional durante a gestação por este e outros motivos. "É fundamental que as gestantes consultem um nutricionista para orientações específicas sobre a dieta e o consumo de chás durante a gestação, visando assegurar a saúde materna e fetal durante esse período crítico", afirma.

5. Chá de cavalinha

A cavalinha contém uma enzima chamada tiaminase, que pode degradar a tiamina, também conhecida como vitamina B1, presente no corpo. Ainda, a planta contém sílica, uma substância mineral que, em grandes quantidades, pode ser tóxica e prejudicial, especialmente para mulheres grávidas.

6. Chá de anis-estrelado

Uma das principais preocupações em relação ao chá de anis-estrelado durante a gravidez se dá pelo seu potencial para estimular as contrações uterinas. A planta contém compostos que podem ter propriedades uterotônicas, o que significa que são capazes de induzir ou aumentar as contrações do útero.

Além disso, o anis-estrelado contém anetol, um composto que, em grandes quantidades, pode ser tóxico. Embora o consumo moderado desse chá seja geralmente considerado seguro para adultos, a dose segura durante a gravidez não está claramente definida. Diante disso, muitos profissionais de saúde recomendam que mulheres grávidas evitem o consumo ou, pelo menos, o limitem a pequenas quantidades.

Por Michelly Souza e Redação EdiCase

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Publicidade