PUBLICIDADE

Muro coberto por hera fica lindo, mas requer manutenção

14 abr 2014 14h00
ver comentários
Publicidade
Heras são bonitas e não prejudicam a estrutura dos muros nem provocam infiltrações, mas exigem cuidados periódicos
Heras são bonitas e não prejudicam a estrutura dos muros nem provocam infiltrações, mas exigem cuidados periódicos
Foto: Ziviani/Shutterstock

Há muros lindos de tijolinho a vista, de pedras decorativas, lajotinhas ou mesmo de alvenaria tradicional. Mas dificilmente você conseguirá um efeito tão bonito quanto cobrir a estrutura com heras.

Dá mais trabalho do que um muro convencional? Sim. Mas menos do que parece. Sobretudo se forem tomados alguns cuidados antes do plantio da trepadeira, especialmente no caso da unha-de-gato, que tem raízes mais agressivas e é muito comum nesses casos. Conserte eventuais rachaduras, pinte e impermeabilize o muro.

Além da unha-de-gato, outras trepadeiras plantas que podem revestir a fachada da casa são a Hedera canariensis e a falsa-vinha, conhecida como hera-japonesa. O mais adequado é que o plantio seja feito em uma área de pleno sol ou meia sombra. “Elas precisam tomar sol direto por pelo menos quatro horas ao dia”, recomenda a paisagista Marizeth Estrela.

O ideal é, antes de plantar, consertar as rachaduras, pintar e impermeabilizar o muro
O ideal é, antes de plantar, consertar as rachaduras, pintar e impermeabilizar o muro
Foto: Paisan Changhirun/ Shutterstock

As mudas devem ser colocadas num canteiro rente à parede a ser coberta. O mais indicado é que planta não crie raízes na parede – apenas apoie os ramos nela. Em geral, demora de um ou dois anos para que ela se fixe completamente por toda a extensão do muro. Nesse meio tempo, a poda mensal ou bimestral serve para direcionar o desenvolvimento e garantir que a planta não invada o espaço do vizinho ou cresça para fora do muro.

Passado esse tempo, com a planta fixada ao muro, a poda fica mais espaçada, a cada dois ou três meses. “Quando a hera não é podada regularmente, os caules engrossam, o que trará sobrepeso e força que comprometerá o muro ou parede”, resume o paisagista Wagner Correa, proprietário do escritório Casa Verde Paisagismo, de Belo Horizonte.

A irrigação deve ser feita a cada dois ou três dias, com sistema de gotejamento incorporado ao muro ou com uma mangueira de jardim mesmo, junto com rega do resto das plantas. “A necessidade de poda e irrigação varia de região para região, de acordo com o clima. Quanto mais sol e chuva, maior será o crescimento da planta”, explica Marizeth.

Parte da manutenção inclui a aplicação preventiva de inseticida uma vez por mês – ou de maneira tópica uma vez por semana, caso a planta esteja infestada. A praga mais comum é o pulgão, que pode ser combatido por inseticidas orgânicos como chá de cavalinha e água de sabão de coco. “Em casos mais graves, o inseticida pode ser aplicado a cada três ou quatro dias”, diz Marizeth. Para completar, a adubação do canteiro pode ser feita com a mesma periodicidade.

Fonte: PrimaPagina
Publicidade
Publicidade