PUBLICIDADE

Paisagistas explicam como preparar o jardim para o inverno

Plantas começam a perder folhas e armazenar nutrientes para enfrentar a época mais fria e seca do ano; saiba como fortificá-las

28 mai 2014 13h00
ver comentários
Publicidade
No outono, as folhas começam a cair, para que a perda de água por evaporação seja menor
No outono, as folhas começam a cair, para que a perda de água por evaporação seja menor
Foto: Shutterstock

O outono está na reta final, as temperaturas já diminuíram, mas ainda dá tempo de preparar seu jardim para o inverno, a estação mais fria e seca do ano, em que a maior parte dos vegetais hiberna. As folhas começam a cair (para que a perda de água por evaporação seja menor) e as plantas acumulam o máximo de nutrientes possível.

“A maioria das plantas se livra das folhas como forma de proteção contra o frio, uma medida necessária para reduzir ao máximo o gasto de energia”, afirma a paisagista Marizeth Estrela, de São Paulo.

Para ajudar o jardim a conseguir todos os nutrientes necessários, os especialistas recomendam fazer no fim outono a última adubação. A próxima, só daqui a três meses, já na primavera. “Durante o inverno a planta desacelera o metabolismo. Se você der mais adubo, ela não aproveita”, explica o paisagista Maier Gilbert, sócio do escritório Maier e Alê Paisagismo, de São Caetano do Sul.

O fim do outono é o momento ideal para fazer a última adubação antes da primavera. A azaleia é outra espécie que floresce nesse período
O fim do outono é o momento ideal para fazer a última adubação antes da primavera. A azaleia é outra espécie que floresce nesse período
Foto: Shutterstock

Na última turbinada antes do inverno, pode ser usado adubo químico, feito a partir de uma mistura de nitrogênio, fosfato e potássio, ou orgânico, como o húmus de minhoca.

A estação é seca, mas as temperaturas são mais baixas – então, é preciso regar com moderação. Gilbert sugere que se faça o teste do dedo: coloque-o na terra; se sair seco, está na hora de regar, se sair grudento, repita o teste no dia seguinte. O mais indicado é que a rega seja feita nas primeiras horas da manhã, às 6h ou 7h – e nada de molhar as folhas. A rega à noite e o excesso de água podem aumentar a umidade e elevar o risco de surgirem fungos.

A retirada das folhas e flores secas, destaca Marizeth, é importante para proteger contra pragas e doenças e para evitar que tampem o pouco sol. Mas, como são ótimas para produzir composto orgânico, elas podem ser recolhidas a um ponto do jardim durante a decomposição e depois serem incorporadas à terra.

Algumas espécies, como o ipê, florescem bem nesta época e não devem ser podadas, segundo o paisagista Maier Gilbert. Informações: (11) 4225-8501
Algumas espécies, como o ipê, florescem bem nesta época e não devem ser podadas, segundo o paisagista Maier Gilbert. Informações: (11) 4225-8501
Foto: Shutterstock

E quais espécies podar? As que não estão em época de floradas, como roseiras, murtas e tumbérgias. Mas Ipês, camélias e primaveras florescem no outono e, por isso, é melhor não mexer nelas. Na dúvida, consulte um especialista.

O gramado merece atenção especial, com compostos próprios. A paisagista Marizeth Estrela recomenda que as regas não sejam excessivas, para não estimular o desenvolvimento de fungos. Informações: marizethestrela@yahoo.com.br
O gramado merece atenção especial, com compostos próprios. A paisagista Marizeth Estrela recomenda que as regas não sejam excessivas, para não estimular o desenvolvimento de fungos. Informações: marizethestrela@yahoo.com.br
Foto: Shutterstock

O gramado também pede atenção nesta época. “O ideal é aplicar um composto orgânico próprio para gramados, sem excessos, conforme instruções do fabricante. A limpeza com garfo próprio ou vassoura de metal e plástico deve ser feita para manter a higiene do gramado. As plantas que estejam invadindo o gramado devem receber poda”, diz Marizeth.

Fonte: PrimaPagina
Publicidade
Publicidade