PUBLICIDADE

Cinco novas startups para ficar de olho em 2023

Empreendedores apresentaram seus negócios durante o pitch-day da AMAZ, realizado no 2º FIINSA o último dia 30 de novembro, em Manaus

8 dez 2022 - 01h41
(atualizado às 04h43)
Compartilhar
Exibir comentários

Cinco negócios foram selecionados pela AMAZ aceleradora de impacto para

receber investimento e serem acelerados em 2023. A última etapa do processo

de seleção - a apresentação dos pitchs - aconteceu em Manaus no último dia

30 de novembro, durante o 2º FIINSA (Fórum de Investimentos de Impacto e

Negócios Sustentáveis na Amazônia).

Foto: Climatempo

Ekilibre foi uma das startups selecionadas no 2º FIINSA

Os negócios que passarão a integrar o portfólio da aceleradora em 2023 são:

Cumbaru, Ekilibre, Impacta Finance, Manawara e Mazô Maná. Quatro deles

estão sediados na Amazônia Legal e um em São Paulo.

Seguindo a lógica de diversificação de portfolio da AMAZ, os selecionados

atuam em diferentes áreas, como recuperação de pastagens degradadas por

meio de sistemas agrossilvipastoris, manejo de produtos da

sociobiodiversidade, fabricação de cosméticos veganos naturais, alimentos

funcionais e doces veganos com matérias-primas amazônicas, finanças

descentralizadas e soluções de web 3.0 para negócios de impacto.

Negócios trazem diversificação ao portfólio da aceleradora

Na Chamada de 2022, a AMAZ buscou diversificar ainda mais o portfólio, se

concentrando em negócios que testam conceitos inovadores.

"Entraram negócios em áreas totalmente novas para o ecossistema, como a Impacta Finance, por exemplo, que deve construir e aplicar soluções de web 3.0 que irão servir outros negócios de impacto até mesmo em nosso próprio portfólio. Selecionamos também negócios já estabelecidos na região e com estruturas de governança envolvendo lideranças locais, sempre buscando empreendimentos nos quais a AMAZ pode aportar conhecimento e recursos complementares, como por exemplo no desenvolvimento da tese de impacto, estrutura organizacional, conexões com parceiros locais, fornecedores, clientes ou outros negócios de nosso portfólio", analisa Mariano Cenamo, CEO da AMAZ e diretor de novos negócios do Idesam.

Cenamo destaca a oportunidade de apresentação dos pitchs durante o 2º

FIINSA como um bônus do processo de seleção deste ano, já que durante o

evento os negócios tiveram um contato intenso com todo o ecossistema,

interagindo com investidores, outros negócios do portfólio da AMAZ, outras

aceleradoras e demais atores.

Para Rafael Moreira Ribeiro, analista de investimentos da AMAZ, o processo

de seleção deste ano foi um pouco mais exigente no sentido de buscar essa

diversidade de perfis de negócios:

"Em termos de escala, os negócios têm hoje menor alcance, mas ao mesmo tempo temos novas emergências de mercado - estamos falando de finanças descentralizadas, recuperação de áreas de pastagens, pecuária sustentável e claro, alimentação. São áreas muito interessantes e extremamente importantes para o foco e para a tese da AMAZ. Para o futuro, a gente imagina que esse processo de composição do portfólio da aceleradora vai continuar buscando diversidade e novas áreas de mercado a explorar, e acreditamos que esses empreendimentos têm alto potencial para impulsionar a sociobiodiversidade amazônica nos próximos anos."

Aceleração e investimento em 2023

Os cinco negócios selecionados passarão por uma jornada de aceleração que

durará aproximadamente seis meses, e que é formatada a partir das

necessidades coletivas e individuais do grupo, programada em cocriação entre

o time da AMAZ e os empreendedores. Também receberão investimento inicial

de R$ 200 mil, havendo a possibilidade de novo aporte ao término da

aceleração.

O potencial de impacto aproximado dos negócios selecionados, entre cinco e

dez anos, inclui mais de 1 milhão de hectares de floresta preservados,

desenvolvimento de mais de 15 cadeias de valor amazônicas, 2.000 hectares

de florestas recuperados, centenas de fornecedores comunitários beneficiados

e aumento no fluxo de investimentos na região amazônica em R$50 milhões.

 

Conheça os selecionados

Cumbaru - situada em Cuiabá (MT), trabalha com a recuperação de

pastagens degradadas por meio da implantação de sistemas agrossilvipastoris

e manejo sustentável de produtos da sociobiodiversidade. Tem foco em três

cadeias principais: Baru, bezerro de corte e produção de leite. Atua em parceria

com pequenos e médios produtores rurais, viabilizando acesso a recursos e

assistência técnica para maior eficiência produtiva de áreas degradadas e

redução da pressão do desmatamento.

Ekilibre Amazônia - sediada em Santarém (PA), é uma marca vegana de

cosméticos naturais, com 10 anos no mercado, pautada na valorização da

floresta em pé. Seus produtos contêm cerca de 90-96% de insumos florestais,

extraídos de forma sustentável por comunidades do Oeste do Pará. 

Impacta Finance - Impacta Finance - sediada em Jundiaí (SP), é uma startup

de soluções disruptivas focadas em acelerar a economia 3D (digital,

descentralizada e descarbonizada) por meio da tecnologia blockchain. A

empresa desenha projetos em web3 para que negócios de impacto

transformem suas intervenções socioambientais em ativos digitais, que podem

ser expostos a investidores globais através de um índice de finanças

regenerativas.

Manawara - sediada em Manaus (AM),é uma marca de doces veganos, sem

glúten e sem lactose, produzidos a partir de matérias-primas amazônicas.

Conta com um portfólio de balas de goma, biscoitos, cereais e castanhas. Possui uma estratégia de crescimento rápido para os próximos

anos, que conta com uma estruturação de fornecedores de matéria prima a

partir da produção agroflorestal e extrativista.

Mazô Maná - sediada em Altamira (PA), tem como proposta a produção e

comercialização de alimentos funcionais com insumos oriundos do extrativismo sustentável e comunitário na Amazônia, com foco no mercado nacional e exportação. O modelo de negócio conta, também, com o desenvolvimento de plataforma de Pagamentos por Serviços Ambientais. 

Sobre a AMAZ

A AMAZ aceleradora de impacto é coordenada pelo Idesam (Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia), e conta com um fundo de financiamento híbrido (blended finance) de R$ 25 milhões para investimento em negócios de impacto nos próximos cinco anos, o primeiro voltado exclusivamente para a região.  

Tem como fundadores e parceiros estratégicos Fundo Vale, Instituto humanize, ICS (Instituto Clima e Sociedade), Good Energies Foundation, Fundo JBS pela Amazônia e PPA (Plataforma Parceiros pela Amazônia). Conta também com uma ampla rede de parceiros como Move.Social, Sense-Lab, SBSA Advogados, Mercado Livre, ICE, Costa Brasil, Climate Ventures e investidores privados.

Foto: Climatempo
Climatempo
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade