0

Hyperloop dá ultimato a governo de MG e deve sair do Estado

Empresa que desenvolve tecnologia para transporte de alta velocidade espera, há mais de um ano, aporte para iniciar atividades em Contagem

26 abr 2019
09h00
atualizado às 13h03
  • separator
  • 0
  • comentários

O namoro da HyperloopTT com o Brasil parecia promissor, mas, ao que tudo indica, não deve subir a serra, pelo menos por enquanto. A empresa desenvolve tecnologia para um transporte de alta velocidade, movido com ajuda de magnetismo numa espécie de tubo despressurizado, para permitir o menor atrito possível com o ar. A tecnologia foi idealizada por Elon Musk.

A empresa - que não tem Musk como sócio - havia anunciado em abril de 2018 que abriria um centro de pesquisa e desenvolvimento em Contagem (MG), na região metropolitana de Belo Horizonte. A prefeitura da cidade chegou a disponibilizar um imóvel para que a empresa se instalasse, um galpão de uma antiga indústria no bairro Cidade Industrial, recém-reformado.

Passado mais de um ano, porém, as atividades da Hyperloop em Contagem nunca foram iniciadas.

Centro de pesquisa da Hiperloop fica em Toulouse, na França.
Centro de pesquisa da Hiperloop fica em Toulouse, na França.
Foto: Divulgação Hiperloop

Ficaria a cargo do estado de Minas Gerais um aporte de R$ 13 milhões, via Fapemig (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais). Esse valor representaria metade do custo total da instalação do centro de pesquisa e desenvolvimento.

De acordo com Rodrigo Sá, diretor global de desenvolvimento e negócios, o governo de Minas chegou a firmar a parceria com a HyperloopTT -- assinou um memorando de entendimento --, mas a oficialização jamais aconteceu, nem na gestão Pimentel (PT), nem na gestão Zema (Novo).

A empresa, então, deu um ultimato: caso as conversas com o governo não avancem até o fim do mês de abril, a Hyperloop devolverá o galpão ao município de Contagem.

Numa escala de zero a dez, no que se refere às chances da Hyperloop sair de Contagem, Rodrigo Sá responde: "oito". "Daí iniciamos a avaliação se permanecemos no Brasil ou não", diz.

Entre os potenciais novos locais que poderiam receber o centro de pesquisa e desenvolvimento, figuram outros estados brasileiros, com destaque para São Paulo, além de países como Austrália, China e Índia.

Sá diz que havia planejado tocar cinco projetos de pesquisa em logística a serem desenvolvidos na cidade mineira. Cinco meses após o anúncio da vinda da Hyperloop a Contagem e sem vislumbrar uma avanço na concretização da parceria, o diretor de negócios diz que teve que transferir os projetos para o centro de pesquisa da empresa em Toulouse, na França.

"A gente já investiu muito tempo e recurso em Minas, mas não podemos esperar muito mais. Não temos nenhuma intenção de sair, mas precisamos tomar uma decisão. Infelizmente -- ou felizmente -- a empresa precisa continuar suas atividades, entendendo perfeitamente as necessidades e o momento pelo qual o governo [de MG] está passando", diz Ricardo Penzin, que coordena as operação brasileira da Hyperloop.

HiperloopTT desenvolve tecnologia para transporte de alta velocidade
HiperloopTT desenvolve tecnologia para transporte de alta velocidade
Foto: Divulgação Hiperloop

"As chances de a Hyperloop sair de Contagem estão nas mãos do governo", diz Penzin. "A prefeitura de Contagem atendeu a todos as nossas demandas e agora falta a parte do governo do Estado, o que efetivamente garantiria a operacionalização do centro de pesquisa e desenvolvimento em logística no Brasil."

O governo de Minas coloca parte da culpa do atraso na própria Hyperloop. De acordo com a Sedectes (Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior), foi exigida da Hyperloop a apresentação do projeto e de um plano de trabalho para análise, "assim como qualquer projeto apoiado pela Fapemig".

"A análise dos documentos realizada por consultores técnico-científicos e pela Procuradoria do Estado apontou a necessidade de ajustes, os quais foram solicitados pela Fapemig à Hyperloop. Porém, sem nenhum retorno desde então. Vale ressaltar que a Hyperloop não apresentou contrapartida consistente para o projeto de investimento no Estado", informou a Sedectes ao Terra.

"Tivemos muita dificuldade na hora da abertura da empresa em Minas. Demoramos quatro meses só pra conseguir abrir a empresa -- o que é uma exigência da Fapemig", diz Penzin, da Hyperloop. "No final de 2018, a gente teve uma mudança de formato em função da capacidade financeira que a Fapemig tem pra fazer o investimento."

"Pode ser que a gente tenha falhado em se comunicar da forma correta", diz o diretor da operação brasileira da HyperloopTT. "Eu diria que nos próximos 15 nós teremos uma decisão final -- talvez até antes. Espero que seja positiva".

Em Contagem, a HyperloopTT faria faria parte de um "centro de startups", segundo Saint Clair Schmiett, secretário de Desenvolvimento econômico do município. A empresa funcionaria como uma âncora para reavivar e atrair mais empresas inovadoras para a região do bairro Cidade Industrial, que, passa por um já longo processo de desindustrialização. O estado de Minas Gerais declarou calamidade financeira em 2016.

HyperloopTT no Brasil

Segundo Penzin, não existe nenhum projeto de construção ou implementação do sistema de transporte Hyperloop. O projeto da empresa no Brasil se restringe a pesquisa e desenvolvimento.

O primeiro teste do transporte futurista em pistas reais está planejado para acontecer ainda este ano em Toulouse. Já a primeira linha comercial é planejada para ser construída em Abu Dhabi.

Veja também:

 

Fonte: Equipe portal
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade