0

EUA registram onda de calor com recorde de temperatura

19 jul 2011
17h22
atualizado às 17h31
  • separator

A região central dos Estados Unidos enfrenta nos últimos dias uma onda de calor fora do normal que se estende até o leste do país, e a sensação térmica pode passar dos 50°C. "Em um mês já foram batidos mais de mil recordes de calor", disse Christopher Vaccaro, porta-voz do serviço de meteorologia nacional.

Mulher aproveita o calor para "lagartear" no sol em banco próximo à fonte do Columbus Circle, em Nova York
Mulher aproveita o calor para "lagartear" no sol em banco próximo à fonte do Columbus Circle, em Nova York
Foto: AFP

"Mas o que é realmente fora do comum é a duração desta onda de calor, sua gravidade e sua extensão", afirmou, explicando que há 24 estados afetados e que o número pode aumentar para mais de 30 nos próximos dias. Segundo a imprensa americana, 13 pessoas morreram devido às altas temperaturas dos últimos dias.

Há semanas o calor afeta uma grande parte do centro do país, da fronteira com o Canadá até o Texas, no sul. Estas zonas registram "níveis perigosos" de calor, que combinados com uma umidade extrema, provocam sensações térmicas recordes, segundo os meteorologistas. Na segunda-feira, a sensação térmica em Knoxville, Iowa (centro), chegou aos 55°. Em Freeport, Ilinois (norte), e em Madison, Minnesota (norte), foi de 51°. Em Nebraska (centro), Wisconsin (norte) e Dakota do Sul (norte) esteve perto dos 50°.

Em Washington, onde nesta terça-feira era esperada uma temperatura máxima de 35°, deve haver também um aumento maior nos próximos dias, assim como em todo o leste do país, com exceção da Florida e do nordeste. "A onda de calor não vai deixar o centro do país e a situação deve se agravar", disse Vaccaro.

No centro, têm se multiplicado os alertas e as mensagens à população para que, principalmente os mais velhos, permaneçam em suas casas com o ar condicionado ligado ou que aproveitem a climatização dos centros comerciais. Também alertaram para a detecção dos primeiros sintomas de desidratação, como náuseas, febre ou dor de cabeça.

Na capital americana, a companhia elétrica Pepco pediu aos consumidores que economizem energia para evitar apagões. Chicago pôs à disposição da população seis centros para aqueles que quiserem aproveitar o ar condicionado (bibliotecas e edifícios públicos, entre eles).

Do outro lado do país, enquanto a temperatura é normal para o verão na Califórnia (oeste) e Arizona (sudoeste), em Nevada (oeste) e Utah (oeste) há alertas de incêndios, segundo os serviços de meteorologia. A governadora do Oklahoma (sul), a republicana Mary Fallin, pediu no último domingo para que as pessoas "se unam numa oração para que chova", mas até agora as preces não adiantaram.

Veja também:

Miley Cyrus incentiva fãs a votarem nas eleições americanas
AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade