PUBLICIDADE
AO VIVO
'Paris É Delas' discute machismo, padrões estéticos e o poder das referências femininas

Estados Unidos

Erro de controlador e falta de tecnologia levaram aviões a ficarem a 60 metros de bater no Texas, diz investigação

Incidente no aeroporto de Austin ocorreu na manhã de 4 de fevereiro de 2023 com uma aeronave com passageiros e um avião cargueiro

7 jun 2024 - 10h43
(atualizado às 11h30)
Compartilhar
Exibir comentários
Simulação mostra erro que fez dois aviões ficarem próximos de colidir nos EUA:

As conclusões das investigações de um incidente em 2023 envolvendo dois aviões que ficaram a menos de 60 metros de colidir em um aeroporto de Austin, no Texas, foram apresentadas na quinta-feira, 6, de acordo com a agência de notícias AP. Segundo investigadores, um controlador de tráfego aéreo errou ao assumir que uma das aeronaves decolaria antes que a outra pousasse. No dia do ocorrido, havia muita neblina na região do aeroporto, limitando a visibilidade.

O episódio aconteceu na manhã de 4 de fevereiro de 2023 com um Boeing 737-700 da Southwest, com 128 passageiros, e um Boeing 767-300 cargueiro da Fedex. Na ocasião, o avião cargueiro estava se aproximando para pousar no aeroporto e quase colidiu com o outro Boeing que estava acelerando na pista para decolar. Os dois só não bateram porque o piloto do cargueiro arremeteu.

O voo da Southwest continuou a decolagem e voou para seu destino em Cancún, no México. Após a arremetida, o avião da FedEx pousou sem maiores incidentes em Austin. Nenhum ferido foi relatado.

Ainda conforme a AP, a Junta Nacional de Segurança no Transporte dos Estados Unidos (NTSB, na sigla em inglês) concluiu que o controlador autorizou os dois aviões a usarem a mesma pista. O órgão também ressaltou que os pilotos da Southwest contribuíram para o evento ao não informarem que precisavam esperar um pouco mais antes da decolagem. Eles demoraram mais tempo do que o previsto para acelerar os motores.

Erro de controlador e falta de tecnologia levaram aviões a ficarem a 60 metros de bater no Texas, diz investigação
Erro de controlador e falta de tecnologia levaram aviões a ficarem a 60 metros de bater no Texas, diz investigação
Foto: Reprodução/Instagram/@ntsbgov

"Este incidente poderia ter sido catastrófico se não fosse pelas ações heroicas da tripulação da FedEx", afirmou Jennifer Homendy, presidente da NTSB.

No relatório da investigação, a Junta também culpou a Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) por não exigir que o aeroporto de Austin tivesse tecnologia que teria ajudado o controlador de tráfego aéreo para rastrear os aviões. Outro ponto levantado pelo órgão foi a falta de treinamento dos controladores para operar em visibilidade reduzida. O relatório sobre o incidente entre os aviões deve ser publicado nas próximas semanas.

"Estamos mais uma vez apelando à FAA para que utilize a tecnologia para prevenir incursões nas pistas – algo que temos feito há décadas – porque devemos apoiar os humanos que operam no nosso sistema de aviação a todos os níveis. É assim que salvamos vidas", disse Jennifer.

Recentemente, a FAA anunciou que instalaria um sistema de rastreamento em alguns aeroportos, incluindo Austin, até o final de 2025.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade