PUBLICIDADE
AO VIVO
'Paris É Delas' discute machismo, padrões estéticos e o poder das referências femininas

Estados Unidos

Defesa de pai acusado de matar filho por forçá-lo a correr em esteira diz que criança teve morte 'natural'

Caso seja condenado, Christopher Gregor, de 31 anos, pode pegar prisão perpétua

31 mai 2024 - 10h58
(atualizado às 12h13)
Compartilhar
Exibir comentários
Christopher Gregor, de 31 anos, é acusado assassinar Corey Micciolo, 6, em 2021; julgamento foi iniciado nesta semana
Christopher Gregor, de 31 anos, é acusado assassinar Corey Micciolo, 6, em 2021; julgamento foi iniciado nesta semana
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Depois de ser acusado de matar o filho, de seis anos, por exaustão de correr em uma esteira de academia, a defesa do norte-americano Christopher Gregor, de 31 anos, contratou um patologista forense, que afirma que a criança morreu de "causas naturais", segundo a Court TV.

O julgamento de Christopher foi iniciado neste mês em Nova Jersey, nos Estados Unidos. Atualmente, ele está detido na Cadeia do Condado de Ocean. Caso seja condenado, ele pode pegar prisão perpétua. 

Autoridades acreditam que Corey Micciolo morreu em decorrência de um abuso crônico perpetrado pelo pai, informou o The Independent.

Imagens divulgadas durante o julgamento mostram o momento em que Christopher faz a criança correr cada vez mais rápido em uma esteira por considerá-lo “gordo demais”.

O caso ocorreu em abril de 2021, mas só ganhou maior notoriedade no último mês com a acusação contra o pai.

As imagens

Imagens das câmeras de segurança da academia mostram Christopher e o filho juntos no local. Corey foi forçado a correr cada vez mais rápido em uma esteira enquanto o seu pai aumentava a velocidade e inclinação do aparelho. O menino chega a cair, mas Christopher o agarra de forma truculenta e o obriga a continuar.

Segundo o New York Post, o pai chega a morder a cabeça da criança. O abuso na academia ocorreu no dia 20 de março de 2021. 

Abuso crônico

Dias depois, Corey se queixou de dores, falta de ar e tontura. Bre Micciolo, mãe do garoto, relatou os ferimentos do menino à Divisão de Proteção e Permanência Infantil de Nova Jersey e obrigou Christopher, com quem dividia a guarda do filho, a levar o menino ao médico.

Durante a consulta, Corey teria revelado que seu pai o fez correr na esteira “porque ele era muito gordo”. 

No dia seguinte, Corey passou mal e foi levado às pressas ao hospital pelo pai, mas morreu pouco após chegar ao local.

A autópsia apontou que Corey foi vítima de um homicídio, pois ele sofria abusos crônicos do pai, incluindo lesões por impacto contundente no peito e abdômen da criança, com laceração no coração, contusão pulmonar esquerda e laceração e contusão no fígado, além de sepse. 

Prisão 

Christopher foi preso em julho de 2021 sob acusações de negligência infantil. “Especificamente por fazer [Corey] correr em uma esteira e aumentar a velocidade, fazendo com que [ele] caísse, colocando-o de volta na esteira em movimento enquanto parecia morder a cabeça, fazendo com que a referida criança caísse várias vezes", diz trecho do mandado de prisão. 

Ele chegou a conseguir liberdade após pagar fiança, mas voltou à prisão em março de 2022, conforme a Court News.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade