PUBLICIDADE

Gafes de Lula e Bolsonaro são 'armas' de Tarcísio e Haddad em debate para o governo de SP

Candidatos citaram falas de presidenciáveis durante ataques em debate nesta segunda-feira, 10

10 out 2022 - 22h26
(atualizado às 23h39)
Compartilhar
Exibir comentários
Fernando Haddad (PT) e Tarcísio de Freitas (Republicanos) participam de debate na Band
Fernando Haddad (PT) e Tarcísio de Freitas (Republicanos) participam de debate na Band
Foto: Reprodução/ YouTube/ Band Jornalismo

Os candidatos ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) e Fernando Haddad (PT), citaram gafes de seus padrinhos políticos, os presidenciáveis Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT), durante o primeiro debate do segundo turno das eleições no Estado, nesta segunda-feira, 10.  

Debatendo o tema de segurança pública, Tarcísio provocou Haddad ao citar uma frase de Lula, em que o ex-presidente disse que Bolsonaro "não gosta de gente, gosta de policial". Já o ex-prefeito de São Paulo citou que Bolsonaro "fez pouco caso de quase 700 mil pessoas que morreram. Soluçava imitando a falta de ar de pessoas que estavam em leito de UTI". 

"Eu acho triste que o ex-presidente veja aqueles que arriscam sua vida diariamente dessa forma, aqueles que vestem farda para nos defender, e eu queria ouvir sua opinião sobre essa afirmação" afirmou Tarcísio, que também questionou o petista sobre suas propostas voltadas à melhoria da segurança pública em São Paulo. 

"O presidente Lula já se desculpou por essa frase e explicou que o que ele quis dizer, na verdade, é que o Bolsonaro não gosta de gente porque gosta de milícia, ele queria usar a palavra milícia, e não polícia, e se desculpou no dia seguinte", justificou Haddad. 

Em seguida, o petista relembrou polêmicas do atual presidente. "São coisas inimagináveis para um presidente da República, ofendeu chefes de Estado, ofendeu a mulher de chefes de Estado, ofende diariamente jornalistas, e não faz nada para se desculpar, não pede perdão de nada". 

Disputa estadual

O resultado do primeiro turno das eleições foi favorável a Tarcísio, que teve 42,32% dos votos, ante 35,7% de Haddad.

Desde então, o ex-ministro - que é a aposta de Bolsonaro no Estado - se mantém à frente nas pesquisas de intenção de voto. O resultado surpreendeu, já que o petista vinha aparecendo na liderança em todos os levantamentos regionais durante o primeiro turno.

Na última pesquisa Datafolha, divulgada na sexta-feira, 7, Tarcísio apareceu com 50% das intenções de voto, enquanto Haddad tinha 40%. Brancos, nulos e indecisos somaram 10%.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade