PUBLICIDADE

Ciro reage contra voto útil e diz que PT faz 'terrorismo e fascismo de esquerda'

Candidato à Presidência pelo PDT afirma que quer combater a corrupção de esquerda e de direita e o brasileiro tem o direito de escolher seu voto

14 set 2022 - 13h41
Compartilhar
Exibir comentários

SALVADOR - O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, reagiu contra um possível voto útil em Luiz Inácio Lula da Silva e acusou o PT de fazer "terrorismo e fascismo de esquerda" ao pregar que a eleição seja encerrada em primeiro turno. "O fascismo está saindo do bolsonarismo doente para o petismo fanático. É fascismo puro do Lula e do PT, e isso nós temos que derrotar", afirmou em entrevista à imprensa ao participar de agenda de campanha em Salvador (BA) na manhã desta quarta-feira, 14.

Reta final

Como mostrou o Broadcast Político, a campanha de Lula pretende iniciar uma ofensiva para atrair o eleitorado de Ciro e de Simone Tebet (MDB), em uma estratégia para evitar o segundo turno contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto.

Ciro comparou o discurso petista ao célebre vídeo em que a atriz Regina Duarte diz ter medo da vitória do ex-presidente Lula nas eleições de 2002. "Quando a Regina Duarte fez aquela propaganda dizendo 'eu tenho medo' para degradar a possibilidade do Lula ser candidato, todos nós democratas denunciamos porque isso é terrorismo. Nosso povo humilhado, faminto, não tem sequer o direito de votar no sistema de dois turnos?", questionou o presidenciável.

O pedetista ainda acusou o sistema financeiro de estimular o voto "por medo" e disse que Lula e Bolsonaro promovem a "economia política da banqueirada". "O PT e o Bolsonaro querem que eu fique calado para eles fazerem esse jogo combinado de comadre para manterem esse sistemão, porque os dois são diferentes, mas promovem rigorosamente a economia política da banqueirada com que eu quero me confrontar", criticou.

Ataques diretos

Ciro intensificou os ataques frontais ao ex-presidente nas últimas semanas, em reação ao discurso do voto útil pregado pela campanha petista. As críticas têm sido endossadas pelo entorno de Bolsonaro. Na segunda, 12, o ministro das Comunicações Fábio Faria republicou um vídeo em que o pedetista acusa Lula de instalar o clima de "violência e truculência na política brasileira".

Coordenador de comunicação da campanha petista, Edinho Silva reagiu em publicação no Twitter na semana passada e acusou Ciro de fazer "alianças com o fascismo" e de "rasgar a sua biografia".

Reação

Ao falar sobre o assunto hoje, o presidenciável afirmou não fazer críticas a Lula "por esporte" e voltou a comparar o ex-presidente a Bolsonaro. "Bolsonaro é neoliberal corrupto da direita e o Lula neoliberal corrupto da esquerda. (Quero) salvar o Brasil do fascismo de esquerda que o Lula representa, do fascismo de direita que o Bolsonaro representa, da corrupção de esquerda que o Lula representa, da corrupção de direita que o Bolsonaro representa", atacou.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade