Objetivo não é trazer médicos de fora, mas levar saúde ao interior, diz Dilma

8 jul 2013
17h30
atualizado às 17h39
  • separator
  • 0
  • comentários

A presidente Dilma Rousseff defendeu nesta segunda-feira, durante o lançamento do programa Mais Médicos, a contratação de médicos estrangeiros para atuar nas áreas com falta de atendimento no Brasil. O projeto é alvo de críticas da categoria, que defende uma carreira nacional

"O programa Mais Médicos, que é um dos braços importante desse pacto (pela saúde), não tem como objetivo trazer mais médicos do exterior, mas trazer mais saúde para o interior do País", diz Dilma.

O projeto lançado nesta segunda-feira tem como ponto mais polêmico o incentivo à vinda de médicos estrangeiros para atuarem em regiões com carência de profissionais brasileiros, como municípios do interior e periferia de grandes cidades. A medida faz parte do conjunto de respostas da presidente à onda de manifestações que tomou conta de ruas de várias cidades brasileiras.

"Em todas as pesquisas de opinião, a saúde tem sido apontada como o maior problema do brasil. Em todas as conversas com os movimentos sociais, a saúde aparece como a questão mais importante a ser solucionada", diz a presidente. "O pacto nacional pela saúde, que propus a governadores e prefeitos, vem para acelerar soluções e buscar novos caminhos para essa questão essencial que é a saúde".

Segundo a presidente, existem três desafios a serem enfrentados no pacto: construção de novas unidades de pronto-atendimento (UPAs) e centros de saúde, bom funcionamento da rede e suprir com profissionais e em quantidade suficiente para atender com qualidade a população.

"Não se pode obrigar um médico que prefere viver na capital a ir para o interior (…). O profissional de saúde tem o direito de viver onde quiser", diz Dilma. "Mas nós precisamos admitir honestamente que algo deve ser feito para que todos os brasileiros tenham direito a um médico".

"Até que essa nova geração (...) chegue ao mercado de trabalho, as pessoas vão continuar adoecendo e continuarão precisando de médicos, de melhores hospitais, de melhores postos de saúde. Até que tudo isso aconteça eu pergunto a vocês: quem vai atender os brasileiros que não têm acesso a um médico? Estou falando do agora", concluiu.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade