PUBLICIDADE

Programas miram desenvolvimento profissional e empreendedor de mulheres

Oportunidades capacitam a classe feminina para o mercado de tecnologia ou quem está a fim de mudar de carreira, iniciar e melhorar o próprio negócio

18 set 2021 11h11
| atualizado em 21/9/2021 às 12h43
ver comentários
Publicidade

O desafio de mulheres no mercado de trabalho e no empreendedorismo é grande. Em 2019, elas receberam 77,7% do salário dos homens, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o que se torna mais crítico quando há recorte de raça - mulheres pretas e pardas ganham ainda menos do que as brancas. No mundo dos negócios, a maioria dos investimentos em startups é destinada a empresas fundadas por homens. Na intenção de mudar esse cenário, cursos e programas oferecem oportunidades para alavancar a carreira delas, seja como funcionária numa empresa ou no comando de um empreendimento e equipes.

Microsoft e PrograMaria, por exemplo, abrem as portas para o mercado de tecnologia, que tem visto um déficit de mão de obra. Já o Google foca na retomada da carreira, para quem busca reinserção no mercado de trabalho. Algumas oportunidades têm inscrições abertas até este fim de semana, outras até o fim de outubro e há cursos permanentes, que podem ser feitos a qualquer momento.

Mulheres na tecnologia

A PrograMaria, startup que forma mulheres em tecnologia, se uniu à Escale para a realização do PrograMaria Summit, evento voltado a mulheres e pessoas LGBTQ+ que visa inserir esse público na área tech. As participantes têm acesso aos estandes da Feira de Oportunidades, conexão com empresas e discussões sobre habilidades técnicas e socioemocionais. Neste sábado, 18, ela ocorre das 10h às 19h. para saber mais e se inscrever.

Outra oportunidade é oferecida pela Microsoft com a terceira edição do Black Women in Tech, programa de capacitação em tecnologia para mulheres pretas e pardas com mais de 18 anos. Serão 50 vagas para participar de mentorias técnicas gratuitas com foco nas certificações em Fundamentos do Microsoft Azure (AZ-900) e Fundamentos de Segurança (SC-900).

O projeto também discute soft skills, desenvolvimento de carreira e inglês básico. No final, as selecionadas receberão vouchers para realizar os exames de certificações da Microsoft nos dois fundamentos abordados. As aulas ocorrem de 27 de setembro a 22 de dezembro e as inscrições vão até o dia 19 de setembro por meio de formulário (veja aqui). Para concorrer a uma vaga, as candidatas também devem participar de um desafio virtual.

Mulheres empreendedoras

O programa #ElaFazHistoria está com inscrições abertas, até o dia 31 de outubro, para a capacitação de mulheres empreendedoras. Trata-se de uma iniciativa global do Facebook que, no Brasil, conta com a parceria da Aliança Empreendedora e do Tamo Junto. A formação ocorre pelo WhatsApp, em microaulas, e inclui conteúdos sobre precificação de produtos e serviços, além de cursos de educação financeira, marketing digital e formalização de empresas. Há, ainda, oportunidade de mentoria de seis meses com especialistas. Mulheres de todo o Brasil podem se inscrever, desde aquelas que já empreendem até quem tem uma ideia de negócio e busca conhecimentos e ferramentas. Veja aqui como participar.

Com foco em mulheres e mães empreendedoras, a B2Mamy promove o Power Pulse Batch 11, programa que vai acelerar gratuitamente startups que tenham como foco o desenvolvimento de mães e crianças. Com patrocínio de Danone e PlayKids, a iniciativa busca empresas em fase de tração, com modelo de negócio validado e faturamento. As 50 selecionadas passarão por um processo de imersão de seis semanas num primeiro momento e, na segunda etapa, 20 escolhidas terão mais dois meses de aceleração. Haverá aulas online e presenciais (para quem é de São Paulo) e acesso a mentoria de performance. As inscrições vão até o dia 24 de setembro; para saber mais.

Reinserção no mercado de trabalho

O Google lançou esta semana mais uma edição do Cresça com o Google para Mulheres a fim de ajudar profissionais na retomada da carreira. O programa busca desenvolver habilidades pessoais e profissionais para que as participantes encontrem novas oportunidades de emprego, mudem de carreira ou abram o próprio negócio. A iniciativa, realizada em parceria com a Rede Mulher Empreendedora, também foca no público 60+ e em mulheres que interromperam a carreira para se dedicarem à maternidade. As inscrições podem ser feitas pelo site (), e o conteúdo é acessível em libras e com legendas.

Liderança feminina

No Brasil, as mulheres são mais instruídas do que os homens, porém ainda encontram dificuldades para chegar a cargos gerenciais. Em 2019, apenas 37,4% dos cargos de chefia e gerência eram ocupados por elas, segundo o levantamento Estatísticas de Gênero: indicadores sociais das mulheres no Brasil, divulgado pelo IBGE. Em alguns setores, como de tecnologia e inovação, isso pode ser ainda mais complexo. Para estimular que mais mulheres estejam no alto escalão, a IMED e a Semente Negócios lançaram recentemente o MBA em Liderança Feminina na Inovação, pago e com inscrições abertas até o preenchimento das vagas, que são limitadas. O curso online abrange 23 disciplinas e é dividido em três trilhas de aprendizagem: liderança, inovação e impacto. As aulas têm início em 27 de outubro. para se inscrever.

Estadão
Publicidade
Publicidade