PUBLICIDADE

O sucesso da sua carreira não depende de um propósito nobre; entenda por quê

Especialistas avaliam que uma vida profissional bem-sucedida depende mais de como as habilidades são utilizadas no trabalho do que de um propósito

6 jun 2024 - 09h40
Compartilhar
Exibir comentários

O que é necessário para ter uma carreira bem-sucedida? A pergunta que vale milhões pode ter diferentes respostas a depender do contexto e da fase de cada pessoa. No entanto, especialistas avaliam que a sua vida profissional não depende unicamente de um propósito nobre para ser alavancada. O sucesso no trabalho é resultado de uma combinação de fatores.

Entende-se como propósito algo que move o ser humano - seja pelo gosto do desafio, uma crença e o que enxerga como valioso. Em relação ao propósito nobre, pode ser um benefício para a humanidade, natureza ou para um grupo específico de pessoas, explica Roberta Rosenburg, especialista em capacitação e desenvolvimento de liderança, e CEO da F.Lead, consultoria de desenvolvimento profissional.

"Pode ser que a pessoa movimente-se por superação, um senso do dever ou por dedicar-se a uma causa, essas são as que dependem do propósito nobre", complementa a psicóloga e especialista em carreira Andréa Krug.

Ascensão do propósito no mundo do trabalho

Roberta Rosenburg contextualiza que a crescente evidência do propósito no ambiente de trabalho deve-se principalmente por causa de dois motivos.

O primeiro é reflexo das novas gerações que estão entrando no mercado. Ao observarem os pais trabalharem em excesso sem necessariamente ter um retorno significativo, os mais jovens passaram a questionar a centralidade do trabalho na vida.

"Hoje, as pessoas que estão com 25-30 anos, começaram a falar de propósito sem saber que estavam falando de propósito", diz.

Outra razão que explica uma busca maior por diversos propósitos é o contexto pós-pandêmico. As pessoas valorizam mais a vida pessoal, o que pressionou empresas a incorporarem o conceito de propósito nas culturas organizacionais.

"Depois da pandemia, o propósito ficou muito latente, já existia um pouco antes. Mas com o pós-pandemia não existe uma empresa hoje que não declare o seu propósito."

De acordo com Andréa Krug, os indivíduos devem importar-se menos com o propósito nobre e preocupar-se mais com o autoconhecimento.

O ideal, diz a especialista, é dedicar-se àquilo que cada pessoa executa com excelência (escrever, dançar, ser eficiente com dados etc.) para ter uma atuação diferenciada e, consequentemente, ser reconhecido no trabalho.

Os fatores externos para alavancar a carreira sem depender de um propósito nobre incluem diversas influências, especialmente aquelas que priorizam a remuneração e a estabilidade financeira como profissões com alta demanda atualmente, a exemplo da inteligência artificial. Quem afirma é Fernando Brancaccio, da FairJob.

"Esses agentes representam motivações extrínsecas, como promoções, bônus, viagens corporativas e status social, que são recompensas externas associadas ao desempenho e não necessariamente ao interesse pessoal ou ao prazer intrínseco da atividade",

Por outro lado, a motivação que está mais associada à autoestima, criatividade e engajamento, costuma ser mais alinhada com o propósito pessoal.

Conforme aponta Brancaccio, as oportunidades de mercado que podem alavancar uma carreira focada em ganhos financeiros e benefícios tangíveis nem sempre estão conectadas ao desenvolvimento de um propósito mais profundo e satisfatório.

A especialista Roberta Rosebunrg concorda que o sucesso na carreira depende mais de como as habilidades são utilizadas no trabalho do que de um propósito claro.

Passo a passo para encontrar o propósito

Se você é uma pessoa que está em busca de um propósito nobre e não abre mão de ter paixão e missão para encontrar mais motivação e a satisfação no trabalho, siga as seguintes dicas:

  1. Conecte-se com o que é importante: identifique o que você valoriza na vida
  2. Determine o certo e o errado dentro da sua realidade: defina seus valores fundamentais
  3. Busque o que mais valoriza: pense com o que você realmente se importa
  4. Observe padrões em diferentes áreas da vida: note como os valores se manifestam em sua casa, trabalho e relações pessoais
  5. Mapeie as suas competências: entenda quais são suas habilidades e como elas se conectam com o que você valoriza
  6. Equilíbrio entre vida pessoal e profissional: verifique se o seu trabalho permite que você viva conforme os seus valores e propósitos
Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade