PUBLICIDADE

"Vivemos tristes", diz órfã da covid em depoimento à CPI

Giovanna Gomes Mendes da Silva, de 19 anos, perdeu a mãe e o pai por complicações da doença em um intervalo de 14 dias

18 out 2021 15h12
| atualizado às 15h30
ver comentários
Publicidade

Orfã da covid, a jovem Giovanna Gomes Mendes da Silva, de 19 anos, perdeu a mãe e o pai por complicações da doença em um intervalo de 14 dias. Hoje, tem a guarda de sua irmã mais nova, de 10 anos, e diz passar por problemas psicológicos e financeiros. "Antes, vivia uma vida de alegria com alguns momentos de tristeza. Hoje, vivemos tristes, e uma ou outra coisa nos deixa alegres", relatou nesta segunda-feira, 18, em testemunho à CPI da Covid.    

Com a voz trêmula, Giovanna disse que sua mãe passou uma noite, durante a internação, com a máscara de oxigênio furada. "Trocaram, mas de qualquer forma o quadro dela se agravou". Sua mãe ficou intubada por oito dias antes de falecer.  

Giovanna Gomes Mendes da Silva, de 19 anos, perdeu a mãe e o pai por complicações da doença em um intervalo de 14 dias
Giovanna Gomes Mendes da Silva, de 19 anos, perdeu a mãe e o pai por complicações da doença em um intervalo de 14 dias
Foto: Edilson Rodrigues / Agência Senado

Dois dias depois, seu pai foi internado. Ele já havia se recuperado da covid, mas tinha um câncer que se espalhou por seu organismo após a doença. "A gente não teve nem tempo de sofrer pela minha mãe, pois não podia ficar chorando na frente do meu pai", disse a jovem. "Perdemos as pessoas que mais amávamos".

Giovanna, que hoje é a chefe da família e cuida de sua irmã, diz viver com doações de parentes. A família de sua mãe, ela afirma, contribui com o pouco que possui. "Passamos a não ter nossos dois pilares e também não ter quem nos ajudasse", afirmou.

Estadão
Publicidade
Publicidade