PUBLICIDADE

SP vai aplicar 3ª dose da vacina a partir de 6 de setembro

Dose de reforço será oferecida para idosos acima de 60 anos, mesmo com tendência de queda dos índices de combate à doença no estado de SP

25 ago 2021 12h52
| atualizado às 13h15
ver comentários
Publicidade
Seringa com vacina da Pfizer em Nova York
23/2/2021  REUTERS/Brendan McDermid
Seringa com vacina da Pfizer em Nova York 23/2/2021 REUTERS/Brendan McDermid
Foto: Reuters

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta quarta-feira (25) no Palácio dos Bandeirantes, que a aplicação da terceira dose da vacina contra covid-19 será iniciada no dia 6 de setembro para idosos acima de 60 anos. A estratégia para a vacinação dos imunossuprimidos (pessoas cujo sistema imunológico está comprometido por alguma condição de saúde) ainda não foi divulgada.

O governador também apresentou a nova carteira de vacinação, agora em tom azul, com a inscrição "dose adicional". "Em vários países estão adotando essa terceira dose como proteção extra. Com isso, o Comitê Científico decidiu fazer a aplicação da terceira dose no estado de São Paulo", diz Paulo Menezes, coordenador do Comitê Científico de São Paulo.

"Isso está sendo feito no mundo inteiro, com todas as vacinas. Está sendo recomendado uma terceira dose para a população com maior risco. Vamos fazer uma dose de reforço com a vacina que estiver disponível", João Gabbardo, coordenador executivo do Centro Executivo da Covid-19.

O Estado registrou nesta terça-feira média móvel de 196 mortes por covid-19 por dia. Na comparação com 14 dias anteriores, a tendência voltou a ser de queda, após duas semanas em estabilidade.

As internações também seguem em declínio. A taxa de ocupação dos leitos de UTI no estado hoje é de 38,5%; na Grande São Paulo, ela é de 37,2%. Em termos absolutos foram registrados 4.222.902 casos de covid-19 durante toda a pandemia, com 144.510 óbitos.

O número de pessoas vacinadas com ao menos uma dose contra a covid-19 no Brasil chegou a 125.339.734 ou 59,19% da população total. Em termos proporcionais, São Paulo continua como o Estado que mais vacinou até aqui: 71,95% dos habitantes receberam ao menos a primeira dose. Mato Grosso do Sul apresenta a maior porcentagem de imunizados: 41,32% da população recebeu as duas doses ou um imunizante de aplicação única.

Na semana passada, o governo de São Paulo encerrou as restrições para o comércio na pandemia. Com isso, São Paulo passou a permitir que estabelecimentos comerciais, como shoppings, lojas, bares e restaurantes, funcionem sem limite de horário e com 100% da ocupação presencial.

O uso de máscara facial continuará obrigatório no Estado ao menos até o fim deste ano. Doria admitiu que novas flexibilizações serão anunciadas para os próximos meses, chegando a uma quase "normalidade". A circulação da variante Delta do vírus da covid-19, no entanto, exige que cuidados sejam mantidos durante pandemia, como distanciamento social e protocolos de higiene.

Estadão
Publicidade
Publicidade