PUBLICIDADE

OMS alerta que variante Delta já é dominante na Europa

Entidade alertou que a cepa, que vem provocando repiques por sua maior capacidade de contágio, já atingiu todos os países europeus

23 jul 2021 16h49
| atualizado às 17h01
ver comentários
Publicidade
Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus 
Laurent Gillieron/Pool via REUTERS
Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus Laurent Gillieron/Pool via REUTERS
Foto: Reuters

Identificada primeiramente na Índia, a variante Delta do novo coronavírus Sars-CoV-2 se tornou dominante em toda a Europa, informaram nesta sexta-feira. 23, o Centro Europeu de Controle de Doenças (ECDC) e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em comunicado conjunto, as entidades alertam que a cepa, que vem provocando repiques por sua maior capacidade de contágio, "está se espalhando rapidamente pelo continente e já chegou a todos os países".

Além disso, as autoridades sanitárias explicaram que, com base na tendência epidemiológica atual, a variante Delta será "globalmente dominante e continuará a se espalhar" nos próximos meses, "a menos que surja um novo vírus mais competitivo".

O ECDC e a OMS enfatizam ainda que grupos prioritários, como idosos, pessoas com doenças crônicas e profissionais de saúde, devem receber o ciclo completo de vacinação contra a covid-19 para proteger a si próprio e às pessoas vulneráveis com as quais entram em contato.

"Apesar dos enormes esforços dos Estados-membros para vacinar pessoas em toda a região, outros milhões continuam não vacinados e, portanto, correm o risco de acabar no hospital", afirmou o diretor da OMS na Europa, Hans Henri P. Kluge.

Segundo o executivo, a notícia boa, porém, é que "os dados mostram claramente que receber uma série completa de vacinação reduz significativamente o risco de doenças graves e morte".

Para Andrea Ammon, diretora do ECDC, as medidas básicas como a vacinação, o distanciamento físico, lavar as mãos, evitar espaços lotados e usar máscara deveriam ser priorizadas, porque "funcionam para proteger" todos e "pode ajudar a prevenir a propagação da doença" sem exigir o isolamento ou outras restrições.

De acordo com o ECDC e a OMS, o número de novos casos do coronavírus Sars-CoV-2 tem registrado aumento na Europa há várias semanas em todas as faixas etárias, principalmente entre jovens de 15 e 24 anos.

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade