0

Itália registra recorde de 993 mortes por covid-19 em um dia

É o maior número para um único dia desde o início da pandemia

3 dez 2020
14h14
atualizado às 14h22
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A Itália registrou nesta quinta-feira (3) mais 993 mortes causadas pela covid-19, maior número para um único dia desde o início da pandemia.

Bandeira da Itália na Piazza Venezia, em Roma
Bandeira da Itália na Piazza Venezia, em Roma
Foto: ANSA / Ansa

Até agora, o recorde diário de óbitos era de 27 de março, quando foram contabilizadas 919 vítimas. O total de mortos pelo novo coronavírus no país subiu para 58.038, segundo o boletim atualizado do Ministério da Saúde.

Apenas cinco nações têm mais óbitos por covid-19 do que a Itália em termos absolutos: Estados Unidos (273,7 mil), Brasil (174,5 mil), Índia (138,6 mil), México (107,6 mil) e Reino Unido (60,2 mil), de acordo com a Universidade Johns Hopkins.

A Lombardia registra o maior número de mortes entre as 20 regiões italianas, com 22.626 vítimas, enquanto o Vale de Aosta é líder em mortalidade, com 258 óbitos para cada 100 mil habitantes.

Curva descendente - Apesar do recorde de óbitos, a curva de contágios na Itália manteve a tendência de desaceleração, com 23.225 casos confirmados em 24 horas.

Isso representa cerca de 2,5 mil a mais que na última quarta-feira, porém 5,8 mil a menos que na quinta-feira da semana passada. Com isso, a média móvel de contágios em sete dias diminuiu para 22.141, acumulando duas semanas de queda.

Por outro lado, a média móvel de óbitos em sete dias subiu para 741, maior número desde 4 de abril (763). As mortes diárias são a última estatística a sentir os efeitos das medidas restritivas anti-covid por causa dos tempos de incubação do vírus Sars-CoV-2 e de evolução da doença.

A Itália soma agora 1.664.829 casos confirmados desde o início da pandemia, 846.809 pacientes curados e 759.982 contágios ativos. Isso significa que 1,26% da população nacional está infectada neste momento.

Para evitar um novo repique dos casos nas festas de fim de ano, o governo italiano já proibiu deslocamentos inter-regionais de 21 de dezembro a 6 de janeiro e intermunicipais nos dias 25 e 26 de dezembro e 1º de janeiro.

Além disso, o primeiro-ministro Giuseppe Conte anunciará em breve a extensão do toque de recolher noturno até janeiro, proibindo as pessoas de saírem de casa após as 22h na véspera de Natal e no Réveillon. .
   

Veja também:

'Na pandemia, o governo federal errou muito', diz Kassab
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade