0

Epicentro chinês do coronavírus suaviza restrições

País também relatou uma diminuição no número de infecções importadas

25 mar 2020
09h54
atualizado às 10h24
  • separator
  • 0
  • comentários

A província chinesa de Hubei, o epicentro do surto de coronavírus do país, começou a voltar ao normal nesta quarta-feira, depois de as autoridades suspenderem restrições para deter a epidemia que interditaram a localidade e sua capital Wuhan durante dois meses.

Ponto de ônibus em Xianning, na província de Hubei 25/3/2020 REUTERS/Aly Song
Ponto de ônibus em Xianning, na província de Hubei 25/3/2020 REUTERS/Aly Song
Foto: Reuters

A China continental também relatou uma queda de casos novos confirmados de coronavírus, porque as infecções importadas diminuíram e não foram relatadas infecções transmitidas localmente.

Os controles de tráfego foram suavizados à meia-noite em Hubei, e a interdição de Wuhan será suspensa em 8 de abril, um marco na guerra chinesa contra a epidemia no momento em que Pequim muda o foco para a contenção dos casos importados e a reativação da economia.

Ainda nesta quarta-feira, o governo de Hubei instruiu os trabalhadores que haviam sido postos em quarentena em casa a retomarem suas funções o mais rápido possível.

As pessoas também puderam partir de Hubei de trem e ônibus, e as Montanhas Wudang, um ponto turístico popular, reabriram para visitantes, de acordo com a mídia estatal.

Na terça-feira, o secretário do partido de Hubei, Ying Yong, disse que, embora o fim das restrições ao tráfego signifique que a vida está se normalizando gradualmente, o governo continuará a trabalhar duro para evitar uma reincidência das infecções à medida que a circulação da população aumentar.

Para evitar um aumento de casos importados, a China está endurecendo as regras de quarentena e exames de todos os recém-chegados do exterior.

A cidade de Quanzhou, na província de Fujian, cancelará todos os voos internacionais e regionais a partir de 26 de março depois que quatro infecções importadas das Filipinas foram detectadas na terça-feira.

O aeroporto internacional Quanzhou Jinjiang cancelará 17 rotas, inclusive aquelas que conectam Manila, Hong Kong e Macau, disse o governo de Fujian em um boletim.

Pequim já está desviando voos para outras cidades em que os passageiros serão examinados e isolados.

O número de casos novos de coronavírus na China totalizou 47 na terça-feira, todos eles de viajantes voltando para casa - menos do que os 78 do dia anterior, disse a Comissão Nacional de Saúde.

Os casos importados novos em Pequim, Guangdong e Fujian diminuíram, mas a cifra diária de infecções importadas novas atingiu o recorde de 19 no polo financeiro de Xangai.

Veja também:

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade