PUBLICIDADE

Brasil passa da marca de 470 mil mortes por covid-19

O Estado de São Paulo continua sendo o que mais registra casos e mortes em números totais

4 jun 2021 18h41
| atualizado às 22h18
ver comentários
Publicidade
Mesmo sem o número de MG, Brasil teve mais de 1,4 mil óbitos
Mesmo sem o número de MG, Brasil teve mais de 1,4 mil óbitos
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

O Brasil registrou 1.454 óbitos nas últimas 24 horas, elevando para 470.842 as vítimas da pandemia, informou o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) nesta sexta-feira , 4. O número foi batido mesmo com a ausência dos dados de Minas Gerais, que não transmitiu as informações sobre falecimentos por questões técnicas.

Foram ainda 37.396 novos casos, elevando para 16.841.408 a quantidade de contaminações confirmadas.

A taxa de letalidade se mantém em 2,8%, mas a de mortalidade subiu para 224,1 a cada 100 mil habitantes. Apesar da média móvel de contágios ter ficado estável, em 64.211, a de mortes teve uma queda - de 1.897 para 1.685.

O Estado de São Paulo continua sendo o que mais registra casos e mortes em números totais: são 3.338.262 e 113.474, respectivamente. Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Bahia também tem mais de 1 milhão de contaminações confirmadas.

Já nos óbitos, o Rio de Janeiro aparece na segunda posição nos valores absolutos, com 51.419, seguido por Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Bahia. Quando analisadas as taxas de letalidade, que são proporcionais, o Rio de Janeiro é o que está na primeira colocação, com 5,8% - mais do que o dobro da média nacional.

Nesta sexta-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou que o governo fechou um acordo com a Janssen para a antecipação da entrega de 3 milhões de doses da vacina anti-Covid produzida pela empresa. A quantidade deve chegar ao país ainda neste mês e faz parte do contrato de 38 milhões de doses compradas pelo país.

Consórcio de imprensa

Dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa mostram que 1.184 novos óbitos foram registrados nas últimas 24 horas, o que fez o total desde o início da pandemia chegar a 470.968.

Apesar da tendência de redução das mortes, o País segue convivendo com um alto patamar de vítimas. A média móvel, que considera dados dos últimos sete dias, está em 1.685, dado que é 12% menor na comparação com 14 dias atrás. No entanto, essa média segue acima de 1,5 mil vítimas por dia consecutivamente desde 8 de março, quando a marca foi atingida pela primeira vez.

O País registrou 40.852 novos testes positivos da covid-19 nesta sexta-feira, o que fez o total chegar a 16.841.954. Na média, o Brasil registra 64.185 casos por dia, 1% a menos na comparação com o dado de duas semanas atrás. Segundo o Ministério da Saúde, são 15.239.692 pessoas recuperadas da doença e 1.130.874 em acompanhamento médico.

Os dados diários do Brasil são do consórcio de veículos de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde, em balanço divulgado às 20h.

O balanço de óbitos e casos é resultado da parceria entre os seis meios de comunicação que passaram a trabalhar, desde o dia 8 de junho, de forma colaborativa para reunir as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. A iniciativa inédita é uma resposta à decisão do governo Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia, mas foi mantida após os registros governamentais continuarem a ser divulgados.

* Com informações do Estadão Conteúdo

Assista também:

Máscara de pano é eficaz? Quando devo usar a PFF2? Especialista esclarece dúvidas:
Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade