4 eventos ao vivo

Brasil bate 2º maior nº de novos casos e tem mais 990 mortes

Foram ainda 46,8 mil novos casos registrados em 24 horas

26 jun 2020
18h14
atualizado às 20h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Ettore Chiereguini/Agif - Agência de Fotografia / Estadão

Com mais 990 mortes computadas nas últimas 24 horas, o Brasil atingiu a marca de 55.961 vítimas do novo coronavírus (Sars-CoV-2) desde o início da pandemia, informou o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) nesta sexta-feira (26) - os números batem com o que foi divulgado pelo Ministério da Saúde.

A taxa de letalidade teve uma leve redução de 4,5% para 4,4% e o índice de mortalidade ficou estável em 26,6 pessoas para cada 100 mil habitantes. O número de vítimas também foi o primeiro da semana com menos de mil óbitos.

O País ainda atingiu a segunda maior marca de novos casos registrados em um dia até hoje, com 46.860 infecções confirmadas. Com isso, o Brasil chegou aos 1.274.974 contaminados pela doença desde fevereiro e elevou consideravelmente os casos a cada 100 mil habitantes: são 606,7 contra os 584,4 registrados na quarta.

O recorde de registros foi atingido no dia 19 de junho, quando teve 54.771 notificações. No entanto, os dados desse dia sofreram com um problema nos números computados em São Paulo.

O estado paulista, por sua vez, continua sendo o maior em valores absolutos: são 258.508 confirmados com o vírus e 13.966 mortes pela covid-19. Rio de Janeiro - 108.497 e 9.587 - e Ceará 104.422 e 5.920 - vem na sequência.

A taxa de letalidade no Rio de Janeiro segue sendo a mais alta do país, em 8,8%, seguida por Pernambuco, em 8,3%, e Ceará 5,7%.

Números diferentes 

O consórcio de imprensa formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL registrou, junto às secretarias estaduais de Saúde, 1.055 mortes nas últimas 24h, elevando o total para 56.109. O número casos aumentou em 46.907 de ontem para hoje e agora já são 1.280.054 pessoas contaminadas.   

Veja também:

Coronavírus: como a pandemia de covid-19 afeta nosso cérebro
Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade