PUBLICIDADE

Polícia

SP: pastor suspeito de estuprar 9 crianças é preso em Francisco Morato

Crianças tinham de um a dez anos. Caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Osasco.

1 dez 2023 - 19h54
(atualizado às 19h55)
Compartilhar
Exibir comentários
SP: pastor suspeito de estuprar 9 crianças é preso em Francisco Morato
SP: pastor suspeito de estuprar 9 crianças é preso em Francisco Morato
Foto: Reprodução/Unsplash

Antônio Gomes Peixoto, conhecido como “Pastor Toninho”, foi preso suspeito de abusar sexualmente de, pelo menos, nove crianças em Francisco Morato, São Paulo. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do estado(SSP), a prisão ocorreu na quinta-feira, 30, e o caso está sendo investigado. 

A prisão aconteceu após um grupo de mães registrar um boletim de ocorrência no dia 23 de novembro, diante dos relatos das crianças de comportamentos estranhos vindos do pastor, segundo o jornal Metrópoles

As crianças eram deixadas com a esposa do suposto pastor, que é uma cuidadora conhecida na região. Em alguns casos, pais e mães deixavam os filhos dormirem com o casal quando tinham compromisso no dia seguinte. Quando estavam lá, o pastor ministrava cultos para elas em um cômodo no fundo de seu quintal. 

Jéssica Alessandra Leite, de 30 anos, mãe de duas meninas, de 3 e 6 anos, gravou um vídeo onde a mais velha relata os abusos sofridos pelo pastor. Nas imagens, divulgadas pelo Metrópoles, a criança diz que o pastor “tocava em sua titita” enquanto apontava para a genitália. A menina diz que aconteceu “várias vezes”. 

De acordo com ela, quando soube das suspeitas por parte de uma outra mãe, que também deixava a filha com a esposa de Antônio, foi até o local buscar as filhas. 

“Eu peguei minha filha, levei para casa. Foi uma hora de conversa tentando falar com a minha filha para chegar no ponto em que ela conseguisse falar sobre o que acontecia lá”, diz ela ao Metrópoles. “Uma mãe mandou mensagem pra mim quinta-feira. A filha dela é uma das maiorzinhas. A menina disse: ‘Mãe, o pastor beijou na minha boca e pegou na minha bunda’. Ele ameaçava dizendo que era enviado de Deus e que, se contassem, o capeta ia pegar elas de madrugada”. 

Segundo relatos das crianças, Antônio teria ainda mostrado seu pênis para uma das meninas e fazia ameaças para que as crianças não relatassem os abusos a seus pais. 

“O pastor levava todo mundo para a igreja, pegava uma criança, colocava ela na frente do palco, de costas, e colocava a parte íntima dela junto com a dele e dizia que era assim que isso tinha sido feito”, completa. 

O homem chegou a ser preso temporariamente no último domingo, 27, mas foi liberado, pois não houve flagrante. Depois foi expedido um mandado pela Justiça para a prisão que aconteceu nesta quinta-feira. 

Ao ser questionada, a mulher, que também passará por investigação, alegou inicialmente que as denúncias eram falsas e que acredita no marido. Porém, depois de perceber a polícia atrás dele, a cuidadora disse não saber dos abusos. 

“Gente, eu peço, não façam nada comigo. Eu nunca judiei das crianças. Eu amei todas elas, todas elas. Se alguma coisa aquele vagabundo fez, foi fora da minha presença, foi quando eu estava dormindo. Eu não sei como é que foi. Nenhuma criança falou nada para mim. Eu só quero ajudar vocês nesse processo”, disse a mulher em um vídeo. 

Ao Terra, a SSP informou que pediu exames para as vítimas e, assim que finalizados, os resultados serão analisados.

“Foram solicitados exames junto ao Instituto Médico Legal (IML). Os laudos estão em andamento e, assim que finalizados, serão analisados pela autoridade policial do 8° DP de Osasco, que realiza demais diligências para o esclarecimento dos fatos. Detalhes serão preservados devido por se tratar de crime sexual e envolver menores de idade”, disse. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade