0

Homem é amarrado e linchado até a morte após assalto no MA

Mais uma vez, população "justiceira" apelou para a barbárie. Caso aconteceu em São Luís, capital do Maranhão

8 jul 2015
12h43
atualizado às 12h47
  • separator
  • 0
  • comentários

Cleidenilson Pereira da Silva, de 29 anos, foi espancado até a morte por populares depois de tentar roubar um comércio em São Cristovão, bairro de São Luís, no Maranhão. “Chandango”, como era conhecido, estava acompanhado de um adolescente de 16 anos, que só sobreviveu às agressões por que desmaiou. Com escoriações, ele foi socorrido e levado à Delegacia do Adolescente Infrator, onde o caso foi registrado.

O linchamento ocorreu há dois dias. Duas pessoas ouvidas pelo Terra que pediram para não ser identificadas disseram que Cleidenilson já era conhecido na região por outros assaltos. “Ele atirou, mas a arma falhou. Por isso foram pegos. Se não fosse isso, era o trabalhador que estaria morto agora”, disse uma delas.

Siga Terra Notícias no Twitter

A Perícia Criminal indicou no laudo que a causa da morte foram ferimentos causados por um objeto cortante, provavelmente uma garrafa de cerveja. Sangue em maçanetas e muros de algumas casas devem auxiliar na identificação dos assassinos, que devem ser indiciados por homicídio doloso qualificado, de acordo com o delegado Jeffrey Furtado. A qualificação se deu em função da impossibilidade de defesa da vítima, que foi amarrada a um poste enquanto era agredida.

As principais notícias da manhã no Brasil e no mundo (08/07)

O advogado da Comissão Pastoral da Terra, Rafael Silva, criticou o assassinato. “Por que esse tamanho ódio a nos fazer duvidar do humano? De onde vem essa energia imensa voltada para a destruição, para o grito da barbárie, para a morte? Por que tanto horror? Por que esqueceram que tu, Chandango, era nosso irmão? Sim, Chandango, eu te considero meu irmão e sofro por esse imenso mal que te causaram. Eu queria poder ter feito algo. Há um tenebroso silêncio sobre essa cidade hoje. Como dormirão hoje os que te mataram, meu irmão?”.

A reportagem pediu à Secretaria de Estado da Segurança Pública informações sobre o histórico criminal de Cleidenilson, mas até o momento não obteve resposta.

Fonte: Especial para Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade