PUBLICIDADE

Há 12 anos, estudante matou 3 pessoas e feriu 4 em cinema de SP

20 jul 2012
08h52 atualizado às 10h51
08h52 atualizado às 10h51
Publicidade

O incidente na madrugada desta sexta-feira em que um atirador matou pelo menos 12 pessoas em um cinema nos Estados Unidos relembra um episódio ocorrido no Brasil há cerca de 12 anos. Em 3 de novembro de 1999, o estudante de Medicina Mateus da Costa Meira entrou na sala de cinema do Shopping Center Morumbi, em São Paulo, onde era exibido o filme Clube da Luta, e disparou contra a plateia com uma submetralhadora. No atentado, três pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas.

Atirador mata ao menos 12 em estreia do filme do Batman nos EUA:

Veja mais de 30 crimes que abalaram o País

Interrogado pela acusação, em 2004, o psiquiatra José Cássio Pitta, que atendia o atirador antes mesmo do crime, disse que ele sofria de "distúrbio de personalidade esquizóide", mas não pode ser considerado um "esquizofrênico". O estudante foi condenado a 120 anos de reclusão, mas, em 2007, a pena foi revisada e reduzida para 48 anos e nove meses.

Na última quarta-feira, o Superior Tribunal de Justiça divulgou que o shopping paulista recorreu da decisão que o condenava a pagar R$ 300 mil por danos morais e materiais e uma pensão mensal às filhas de uma das vítimas fatais do tiroteio. Em um julgamento da apelação, apenas a pensão mensal foi reduzida, de 22 para três salários mínimos. O shopping, no entanto, quer que prevaleça o voto vencido de um desembargador, que o isentou de qualquer indenização.

Nos Estados Unidos
Pelo menos 12 pessoas morreram e 50 ficaram feridas nesta sexta-feira após ataque de um homem mascarado que atirou contra pessoas que assistiam a estreia do filme Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge em um shopping em Aurora, na região de Denver, no Estado americano do Colorado. Segundo a CNN , o suspeito, que foi preso, é um jovem branco de 24 anos.

De acordo com testemunhas, o suspeito abriu fogo aos 30 minutos de filme e, antes de sair, causou uma nuvem de fumaça com uma bomba de gás. De acordo com a rádio local KOA, algumas das pessoas na sala de cinema acreditavam que a chegada do homem mascarado, de forma estrondosa, era parte do filme. O pânico teve início quando foi sacada uma arma.

O porta-voz da polícia, Frank Fania, disse à CNN que o suspeito utilizava um colete à prova de balas e estava armado com um rifle e duas pistolas, acrescentando que lançou algum tipo de dispositivo de fumaça para semear o pânico.

Fonte: Terra
Publicidade