PUBLICIDADE

Empresa italiana de argamassas chega ao Brasil mirando liderança

Fassa Bortolo abriu em MG sua primeira fábrica fora da Europa

22 set 2021 14h23
| atualizado às 14h26
ver comentários
Publicidade

Com mais de 300 anos de história, a companhia italiana de materiais de construção Fassa Bortolo iniciou recentemente um novo desafio em sua longa trajetória: tornar-se uma das maiores empresas do setor no Brasil.

Primeira fábrica da Fassa Bortolo fora da Europa fica em Matozinhos
Primeira fábrica da Fassa Bortolo fora da Europa fica em Matozinhos
Foto: Divulgação / Ansa - Brasil

Após ter inaugurado em julho uma fábrica em Matozinhos (MG), a 50 quilômetros de Belo Horizonte, a Fassa Bartolo já começou a faturar suas primeiras vendas no país no fim de agosto e fechou um contrato de fornecimento com uma das maiores obras de construção civil em andamento em Minas Gerais, a Arena MRV, futuro estádio do Atlético Mineiro.

"A Fassa chega aqui para liderar o mercado ou para ser uma das maiores empresas de materiais de construção", diz, em entrevista à ANSA, o representante do grupo italiano no Brasil, Ivan Aliberti.

Fundada em 1710, a companhia tem hoje 18 fábricas na Itália e em Portugal, mas a unidade de Matozinhos representa sua primeira incursão fora da Europa.

De acordo com Aliberti, o projeto da fábrica no Brasil começou ainda em 2015, e a escolha recaiu sobre Minas Gerais devido à grande quantidade de calcário de alta qualidade - matéria-prima para seus produtos - e aos incentivos institucionais no estado.

"No final, escolhemos Matozinhos, inclusive porque fizemos um acordo para receber o terreno como doação em troca de [investimentos em] infraestrutura", conta o executivo.

A crise econômica, no entanto, acabou adiando o investimento na unidade produtiva, que só começaria em outubro de 2019, culminando com a inauguração em julho passado. O aporte total foi de R$ 150 milhões, e a unidade pode produzir até 300 mil toneladas por ano.

"O Brasil é um país onde o setor de construção cresce muito, apesar de qualquer crise econômica, política ou pandêmica. Pode ser um crescimento não tão estável, mas sempre vai existir. É um país fértil para investimentos", explica Aliberti.

Além disso, a Fassa Bortolo diz que chega ao Brasil para aumentar a qualidade das construções: a empresa vai vender argamassas e rejuntes, mas também um sistema completo de aplicação dos produtos.

"Estamos trazendo um equipamento que permite a aplicação mais produtiva, gastando menos tempo e menos energia que qualquer outra metodologia de aplicação", afirma Aliberti.

Ao invés de entregar o produto em sacos, a empresa também pode instalar nos canteiros silos especiais e um equipamento que permite o bombeamento vertical da argamassa e seu posterior jateamento sobre superfícies. Segundo a companhia, isso diminui o número de entregas, elimina o descarte das embalagens, preserva o produto, acelera a aplicação e minimiza o desperdício.

Planos e instabilidade

A Fassa Bortolo desembarca no Brasil em um momento de grande instabilidade política e econômica, mas acredita que o setor de construção civil não será prejudicado.

"A construção para somente com um default total do país. Sabemos que o Brasil vive algum problema de caráter político, mas, de uma forma ou de outra, sempre se precisa de casas, prédios, infraestrutura", ressalta Aliberti, acrescentando que a empresa não busca retorno de curto prazo.

"É uma entrada de longo prazo. Escolhemos o Brasil porque, no futuro próximo, a intenção é expandir para outros mercados na América Latina", diz. Inicialmente, no entanto, as vendas ficarão restritas a Minas Gerais e a algumas áreas do Rio de Janeiro próximas à divisa.

Segundo o executivo, uma fábrica desse tipo precisa operar em um raio de 400 a 500 quilômetros, dependendo dos custos de transporte, para se manter competitiva. Mas a empresa já tem planos para possíveis unidades em outras regiões e até para ampliar a gama de produtos.

"Na Itália, somos muito fortes em tintas, que por enquanto ainda não estão [no Brasil], mas nossa fábrica já está preparada para receber outras linhas de produção", explica Aliberti.

O primeiro grande negócio da Fassa Bortolo no Brasil é com a Arena MRV, futuro estádio do Atlético Mineiro que está sendo construído em Belo Horizonte - o grupo italiano inclusive batiza o centro de experiências da obra.

Além de um fornecimento robusto (3 mil toneladas de produtos até dezembro), o projeto garantirá à Fassa Bortolo visibilidade logo no início de sua trajetória no Brasil e uma oportunidade para o mercado ver suas soluções em ação.

"Foram seis meses de tratativas pesadas. Os construtores pediram até para testar alguns produtos antes de fechar a parceria, apesar de termos todos os certificados. Mas o acordo foi muito importante porque vamos rapidamente mostrar ao mercado nossa qualidade", diz Aliberti.   

Ansa - Brasil   
Publicidade
Publicidade