PUBLICIDADE

Fuga em Mossoró: PF prende dono de sítio usado como esconderijo por foragidos no RN

PF investiga se proprietário rural recebeu uma quantia de R$ 5 mil para abrigar os fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró

26 fev 2024 - 17h35
Compartilhar
Exibir comentários
Polícia encontrou redes, embalagens de alimentos e outros pertences de fugitivos
Polícia encontrou redes, embalagens de alimentos e outros pertences de fugitivos
Foto: Reprodução/TV Globo

A Polícia Federal prendeu nesta segunda-feira, 26, o dono de uma propriedade rural usada como esconderijo por oito dias pelos fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN). Segundo a investigação, indícios apontam que o suspeito de auxiliar os fugitivos teria recebido R$ 5 mil para abrigá-los, publicou O Globo

Esta é a quinta prisão de suspeitos por ajudar os fugitivos do presídio de segurança máxima potiguar desde 14 de fevereiro, quando a fuga foi notificada. Desde então, Rogério Mendonça, o Tatu, e Deibson Nascimento, o Deisinho, continuam foragidos. 

Segundo a PF, o preso desta segunda-feira é proprietário de um sítio na zona rural de Baraúna, localizado a aproximadamente 30 quilômetros da penitenciária, na divisa entre o Rio Grande do Norte e o Ceará. Em troca de R$ 5 mil, o homem de 38 anos teria oferecido uma cabana em seu sítio aos fugitivos. No local, ainda de acordo com a PF, Tatu e Deisinho se alimentaram, dormiram e ainda cavaram buracos para se esconder de drones de monitoramento com sensores de temperatura.

A inconsistência entre depoimentos dados pelo dono do sítio levantou suspeitas entre os policiais. Na sexta-feira, 23, e no sábado, 24, ele chegou a dizer à PF que foi ameaçado pelos fugitivos. A jornalistas, disse que os criminosos chegaram na propriedade no domingo, 18. Em um primeiro momento, afirmou que a dupla pediu calma e disse que nada aconteceria com o dono das terras e sua família. Depois, contou que foi ameaçado de morte se não comprasse mantimentos diariamente para os fugitivos.

Apontando inconsistência nos relatos, a Polícia Federal pediu a prisão do proprietário rural, autorizada pela Justiça do Rio Grande do Norte e executada na manhã desta segunda-feira. 

Buraco foi usado como bunker por fugitivos de presídio de Mossoró
Buraco foi usado como bunker por fugitivos de presídio de Mossoró
Foto: Reprodução/TV Globo

Envolvidos na fuga em Mossoró

A primeira prisão de suspeito de envolvimento na fuga da Penitenciária Federal de Mossoró aconteceu na quarta-feira, 21, na comunidade de Quixabeirinha, em Mossoró, de forma preventiva. Já outros dois foram presos em flagrante. Além disso, um carro também está sendo periciado. Nele, foram encontradas armas e drogas.

A investigação aponta que o primeiro homem preso teria ido até uma cidade do Ceará, onde pegou um carro e levou para Baraúna. Uma outra pessoa ainda não identificada teria levado o veículo até os dois fugitivos

Na sexta-feira, 23, o irmão de Deibson, um dos fugitivos, também foi preso, no Acre. Ele é condenado por roubo e participação em organização criminosa. Ele estava com mandado de prisão em aberto.

Segundo a PF, os policiais chegaram até ele por causa das investigações sobre a fuga de seu irmão e o parceiro. "Uma vez que há várias forças de segurança envolvidas nas buscas, com trocas de informações, foi possível localizar o preso desta manhã, que é irmão de um dos foragidos", diz a nota do órgão federal. 

Presídio de segurança máxima em Mossoró registra as primeiras fugas do Sistema Penitenciário Federal:

Facções criminosas na prisão

Um dos fugitivos é Rogério Mendonça. Ele foi condenado a 32 anos de prisão por mandar matar um adolescente de 16 anos, mesmo estando dentro da cadeia. O julgamento de Rogério aconteceu em 2022 no Acre. Em depoimento, obtido pelo Fantástico, o criminoso confirma que convivia com facções criminosas dentro da prisão. 

O comparsa de Rogério na fuga, Deibson Nascimento, diz em outro depoimento ao juiz que seu tempo de pena é de 81 anos. Em julho de 2023, ele respondia por mais um processo em sua longa ficha criminal. Com ele, foram encontradas drogas dentro do presídio de segurança máxima Antônio Amaro Alves, em Rio Branco. O depoimento também foi obtido pelo Fantástico.

Deibson prestou depoimento uma semana antes da rebelião, que deixou cinco mortos, sendo que três foram decapitados.

Rogério e Deibson foram transferidos para a Penitenciária Federal de Mossoró devido ao envolvimento com a rebelião. Questionado por um juiz sobre fazer parte de facção criminosa em 2021, Deibson se calou.

Foto mostra buraco na parede da cela de presídio federal onde dois presos fugiram em Mossoró
Foto mostra buraco na parede da cela de presídio federal onde dois presos fugiram em Mossoró
Foto: Reprodução/GloboNews

Procurados

Os dois detentos conseguiram escapar da penitenciária de segurança máxima de Mossoró por um buraco na parede, aberto com ajuda de ferramentas improvisadas. Eles pularam para a área externa do presídio e fugiram por um buraco na cerca, próximo de uma área em obras.

O Fantástico revelou que, segundo autoridades, os dois fugitivos são integrantes da facção criminosa Comando Vermelho. 

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade