PUBLICIDADE

Fugitivos de presídio de Mossoró se esconderam em buracos para fugir de drones

Homens usaram buracos na terra para escapar de drones capazes de identificar calor humano, conforme reportagem

26 fev 2024 - 09h23
(atualizado às 09h26)
Compartilhar
Exibir comentários
Polícia encontrou redes, embalagens de alimentos e outros pertences de fugitivos
Polícia encontrou redes, embalagens de alimentos e outros pertences de fugitivos
Foto: Reprodução/TV Globo

A polícia descobriu que os dois fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, ficaram escondidos em uma casa na zona rural de Baraúna por sete dias. Segundo as investigações, eles pagaram R$ 5 mil aos proprietários para ficarem no local.

Conforme revelado em uma reportagem do Fantástico, da TV Globo, neste domingo, 25, a polícia encontrou redes que eram usadas para dormir, embalagens de comida, um facão e uma lona. Rogério e Deibson Nascimento seriam integrantes da organização criminosa Comando Vermelho.

Próximo da casa, os dois fugitivos encontraram um buraco, uma espécie de bunker, onde ficaram escondidos para que drones capazes de detectar calor humano, não os encontrassem, segundo o Fantástico.

As buscas estão concentradas no entorno da cidade de Baraúna, a 22 quilômetros do presídio. Centenas de agentes atuam na operação, e se revezam para buscar pistas que levem aos foragidos.

Buraco foi usado como bunker por fugitivos de presídio de Mossoró
Buraco foi usado como bunker por fugitivos de presídio de Mossoró
Foto: Reprodução/TV Globo

Facções criminosas na prisão

Um dos fugitivos é Rogério Mendonça. Ele foi condenado a 32 anos de prisão por mandar matar um adolescente de 16 anos, mesmo estando dentro da cadeia. O julgamento de Rogério aconteceu em 2022 no Acre. Em depoimento, obtido pelo Fantástico, o criminoso confirma que convivia com facções criminosas dentro da prisão. 

O comparsa de Rogério na fuga, Deibson Nascimento, diz em outro depoimento ao juiz que seu tempo de pena é de 81 anos. Em julho de 2023, ele respondia por mais um processo em sua longa ficha criminal. Com ele, foram encontradas drogas dentro do presídio de segurança máxima Antônio Amaro Alves, em Rio Branco. O depoimento também foi obtido pelo Fantástico.

Deibson prestou depoimento uma semana antes da rebelião que deixou cinco mortos, sendo que três foram decapitados.

Rogério e Deibson foram transferidos para a penitenciária Federal de Mossoró devido ao envolvimento com a rebelião. Questionado por um juiz sobre fazer parte de facção criminosa em 2021, Deibson se calou.

Procurados

Os dois detentos conseguiram escapar da penitenciária de segurança máxima de Mossoró por um buraco na parede, aberto com ajuda de ferramentas improvisadas. Eles pularam para a área externa do presídio e fugiram por um buraco na cerca, próximo de uma área em obras.

O Fantástico revelou que, segundo autoridades, os dois fugitivos são integrantes da facção criminosa Comando Vermelho. 

Quatro pessoas foram presas, suspeitas de ajudar na fuga do lado de fora da penitenciária. Entre os presos, está o irmão de Deibson. As buscas pelos dois fugitivos continuam.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade