PUBLICIDADE

Peugeot desaba nas vendas e é o maior desafio da Stellantis

Desafio de colocar Peugeot-Citroën entre as top 10 marcas está mais difícil do que imaginava a Stellantis; greve do Ibama prejudica Peugeot

9 abr 2024 - 11h08
(atualizado em 11/4/2024 às 11h28)
Compartilhar
Exibir comentários
Peugeot 208 Turbo: eleito o Melhor Carro Compacto no Prêmio Trend Car 2024
Peugeot 208 Turbo: eleito o Melhor Carro Compacto no Prêmio Trend Car 2024
Foto: Stellantis / Guia do Carro

A Stellantis América do Sul tem um novo líder desde outubro do ano passado, quando Antonio Filosa foi ser o CEO global da Jeep e deixou o bastão para outro italiano, Emanuele Cappellano. Apesar de sua ótima gestão, Filosa não conseguiu vencer um desafio: colocar a Peugeot e a Citroën entre as top 10 marcas de carros do Brasil.

O desafio, portanto, ficou para Cappellano e parece ser mais difícil do que se previa. O maior problema chama-se Peugeot, prestigiosa marca francesa que parece ter perdido relevância dentro da Stellantis América do Sul. A Peugeot teve um recuo de 41% nas vendas do primeiro trimestre de 2024, comparado ao trimestre do ano passado. A greve no Ibama, iniciada há cerca de 45 dias, prejudicou as importações da Peugeot [veja abaixo comunicado da Stellantis explicando as razões da queda de vendas].

“Para cada uma das marcas francesas temos um plano de crescimento”, disse Filosa em maio de 2021. “Dentro de 24 meses, esperamos que a Peugeot e a Citroën retornem ao mesmo patamar de presença no mercado que tinham 10 anos atrás.” Isso significa que, juntas, Peugeot e Citroën deveriam somar cerca de 5,1% de participação nas vendas de veículos leves

Novo Peugeot 2008 flagrado em testes: vendas caíram à espera do novo SUV
Novo Peugeot 2008 flagrado em testes: vendas caíram à espera do novo SUV
Foto: Paulo Correa Vianna / @car_briefing

No prazo estipulado (maio de 2023), a Citroën estava em 10º lugar e a Peugeot em 11º. As duas somavam apenas 2,92%, mas iam bem. No primeiro trimestre de 2023 a dupla francesa somava 4,10% de participação. Porém, a situação piorou; hoje Peugeot e Citroën somam apenas 2,61%.

A Citroën subiu em volume, passando de 5.493 vendas para 6.808, mas caiu em participação, de 1,47% para 1,41%. A Peugeot desabou em volume, caindo de 9.852 carros para 5.791, perdendo também participação, de 2,63% para 1,20%.

As duas marcas tiveram novidades recentes. A Peugeot teve bons resultados com o 208 ao ganhar o motor 1.0 aspirado de 3 cilindros da Fiat. Depois, o Peugeot 208 Turbo arrasou corações com o motor 1.0 turbo que equipa alguns carros da Fiat. O produto ficou ótimo; o problema é que não vende bem.

E pior: a Peugeot ainda perdeu uma de suas novidades, que seria a picape Landtrek. Sem confiança na marca para esse segmento, a Stellantis preferiu transformar a picape Peugeot Landtrek em Fiat Titano. Além disso, a Stellantis decidiu concentrar a fabricação dos modelos Peugeot na Argentina.

Peugeot Landtrek: é possível que a marca mantenha a picape no mercaqdo argentino
Peugeot Landtrek: é possível que a marca mantenha a picape no mercaqdo argentino
Foto: PSA / Divulgação

De lá continuará vindo o 208 e de lá virá o novo SUV 2008. É possível até que a picape Fiat Titano acabe sendo mesmo Peugeot Landtrek para o mercado argentino. Sem contar que a Stellantis parece ter tirado totalmente o pé do segmento de carros elétricos, o que deixa os ótimos modelos Peugeot e-208 e Peugeot e-2008 com uma grande interrogação.

Quais são os planos da Stellantis para a Peugeot? Não sabemos. Os carros são ótimos e quem tem um se orgulha dele, porém a marca parece ter ficado à margem das prioridades da Stellantis, que segue com a mesma liderança robusta porque a Fiat é ouro no Brasil, a Jeep é imbatível em suas categorias e a Ram se transformou numa agradável surpresa.

É fato também que o mercado como um todo mudou muito rápido. A chegada das chinesas BYD e GWM mudou o jogo, a Volkswagen se tornou muito mais competitiva, a Chevrolet também trouxe novidades e a Hyundai se tornou muito agressiva nas promoções do HB20 e do Creta.

Peugeot 208 Turbo: por que você deve (mesmo) conhecer este carro:

Paralelamente, a Citroën ganhou o Novo C3 e o inédito C3 Aircross, dois carros muito competitivos na questão de preço. Em ritmo diferente de sua irmã francesa, a Citroën já revelou o Basalt, um SUV cupê belíssimo e que tem tudo para aumentar as vendas da marca. 

Por tudo isso, a Peugeot é a grande pedra no sapato de Cappellano. Porém, o maior problema da Peugeot é que talvez ela não seja prioridade, porque o mercado mudou e Cappellano precisa manter a Fiat e a Jeep – suas duas vacas leiteiras – competitivas num cenário de mudanças tecnológicas e sob forte ataque da BYD e da Volkswagen.

O carro mais vendido da Peugeot no primeiro trimestre foi o hatch 208 com 4.502 unidades, número que lhe deu a 39ª posição no ranking. O Peugeot 2008, por estar próximo de uma mudança de geração, emplacou apenas 361 unidades. O lançamento do Novo 2008 vai mostrar se a Peugeot continua com a ambição de três anos atrás.

Nota do Editor – Depois da publicação desta matéria recebemos o seguinte comunicado da Stellantis: "A Stellantis informa que suas marcas, a exemplo de outras empresas do setor, têm sido impactadas pela paralisação do órgão responsável pela emissão das licenças ambientais exigidas pela legislação vigente. Com isso, veículos importados seguem no aguardo da liberação da documentação necessária para serem comercializados no país. A Stellantis acompanha diariamente o andamento do tema para minimizar ao máximo os impactos junto aos concessionários e consumidores".

Guia do Carro
Compartilhar
Publicidade
Publicidade