PUBLICIDADE

Ghostrunner 2 traz ação frenética em cenário cyberpunk

Mesmo que peque um pouco por excessos, jogo evolui e consolida franquia de ação da One More Level

22 nov 2023 - 09h39
Compartilhar
Exibir comentários
Ghostrunner 2 está disponível para PC, PlayStation 5 e Xbox Series X|S
Ghostrunner 2 está disponível para PC, PlayStation 5 e Xbox Series X|S
Foto: Reprodução / 505 Games

Lançado em 2020, o primeiro Ghostrunner surpreendeu com seu jogo rápido, extremamente fluido e que mergulha o jogador em cerca de sete horas de pura ação. Uma ação tão boa que deixava a história, mesmo que promissora, em segundo plano – e tudo bem. 

Quer conhecer outros jogadores, saber das últimas novidades dos games e ter acesso a brindes e campeonatos? Participe do nosso Discord!

Ghostrunner 2 é a consolidação de uma franquia claramente inspirada em Mirror's Edge, mas que é ainda mais intensa e, o melhor, com katanas.

Ghostrunner 2 se passa um ano após os acontecimentos de seu antecessor. Jack, o protagonista, agora vive como um herói. Até descobrir que um grupo de seres mecânicos quer ocupar o poder, o espaço deixado pela Guardiã das Chaves, a tirana que dominava a Torre Dharma, o último refúgio da humanidade. É hora de desembainhar sua katana uma vez mais.

O primeiro capítulo do jogo serve como um tutorial – ou como uma recapitulação para aqueles que jogaram o primeiro jogo – e faz isso bem. 

Perceber a essência de Ghostrunner 2 é um processo fácil e punitivo: é preciso ser rápido, e não há espaço para erros. Se por um lado os comandos são precisos e as possibilidades quase infinitas, por outro, receber um único golpe é fatal. Essas são características que foram vistas no primeiro jogo e que se tornaram a personalidade da franquia desenvolvida pela One More Level.

A essência é mantida, mas há novidades. Novas habilidades, um novo sistema de progressão e inimigos mais diversificados e inteligentes garantem frescor ao jogo. Os chefes continuam difíceis e protagonizam momentos que ficam na memória, seja pelo desafio ou pela raiva que causam, principalmente quando estão sendo quase derrotados.

A visão em primeira pessoa deixa os combates frenéticos ainda mais imersivos
A visão em primeira pessoa deixa os combates frenéticos ainda mais imersivos
Foto: Ghostrunner 2 / Divulgação

Algumas novidades escancaram um certo exagero dos desenvolvedores, que ousaram um pouco demais. Alguns trechos em que é preciso pilotar uma rápida motocicleta são inicialmente divertidos, mas logo se mostram desnecessários. Exageros à parte, a ação de Ghostrunner 2, ainda assim, se mostra além de qualquer elogio – e não é o único elemento que os merece.

Os estágios, mais complexos do que no primeiro título, são um dos maiores trunfos do jogo. Cada fase parece um pequeno quebra-cabeça a ser resolvido. Corra, pule, execute um inimigo, desvie de tiros, execute um outro inimigo, use ambientes interativos ao seu favor: há diversas formas de superar um mesmo estágio, e tudo depende da criatividade e da visão do todo do jogador. Também existem muitos colecionáveis espalhados pelos estágios, como visuais para a katana e para as luvas e artefatos de um mundo que já não existe mais. E esses colecionáveis são um motivo a mais para revisitar cada etapa – prato cheio para colecionistas.

Outra novidade é a exploração da área externa à Torre Dharma. O deserto pós-apocalíptico que cerca o refúgio parece interessante à primeira vista e até abriga batalhas marcantes, mas não há muito o que se fazer nele em termos de exploração. Outro exagero. Ainda assim, é impossível negar sua beleza e não notar o contraste de cores e tons com os néons marcantes da torre, típicos de um cenário cyberpunk.

O que também poderia ter sido melhor pensado é a profundidade da história. Ghostrunner 2 tenta ser mais humano e há interação com diversos NPCs, mas nada que realmente enriqueça a experiência. Um paralelo possível é com a franquia John Wick, que apesar da qualidade incontestável quando o assunto é ação, errou mais do que acertou ao tentar aprofundar demais a mitologia em torno do lacônico protagonista.

Por fim, nada poderia combinar melhor com o jogo do que sua trilha sonora synthwave. Absolutamente perfeita.

Considerações

Ghostrunner 2 – Nota: 8,5
Ghostrunner 2 – Nota: 8,5
Foto: Reprodução / Game On

Ghostrunner 2 é um jogo de ação fenomenal, mas que às vezes tenta ir além do que deveria - e acaba se atrapalhando. É uma experiência que recomendo muito neste final de 2023, um ano que teve muitos jogos excelentes.

Ghostrunner 2 está disponível para PC, PlayStation 5 e Xbox Series X|S. 

*Esta análise foi feita no PlayStation 5 com uma cópia gentilmente cedida pela 505 Games.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Publicidade