0

Túlio, Bebeto e Djalminha em campo: Sonho ou realidade?

Destaques nos anos 90, eles não conseguem largar o futebol

12 dez 2018
19h52
atualizado em 13/12/2018 às 15h57
  • separator
  • comentários

A TV estava ligada e ele começou a vibrar com um, dois, três, quatro gols de Bebeto. Seria um sonho? O parceiro de Romário no tetra estava fininho e balançava a rede com uma facilidade de dar inveja aos Rogers da vida.

No outro time, Djalminha, de forma impiedosa, colocava a bola no ângulo de Cássio como se tivesse 20 e poucos anos. Só que logo depois da obra prima, o peso da idade tirou o craque de campo.

Bebeto entrou em campo no jogo de despedida de Emerson Sheik
Bebeto entrou em campo no jogo de despedida de Emerson Sheik
Foto: Peter Leone / Futura Press / Futura Press

Foi aí que ele conseguiu sair do transe futebolístico que o havia feito pensar que tinha voltado no tempo. Descobriu que era apenas uma festa de despedida para o quarentão Emerson Sheik, que acabou de pendurar as chuteiras. 

De volta à realidade, decidiu se inteirar das novidades do mercado do futebol brasileiro. E descobriu que Túlio era o novo reforço do Taboão da Serra.

O transe voltou. Túlio sendo campeão brasileiro pelo Botafogo. Túlio usando a mão para fazer um gol irregular contra a Argentina, na Copa América de 95. Túlio sendo apresentado como o maior reforço do Corinthians, em 97, e depois virando reserva porque o então técnico Nelsinho Baptista nunca gostou de centroavante.

Ele só despertou quando o  telefone tocou. Túlio, 49 anos, vai voltar a jogar? Aquele mesmo que por suas contas pra lá de suspeitas já tem mais de mil gols?

Rapidamente, ele arrancou os tubos, pegou o expresso pra Taboão e foi ver o falastrão em campo. Levou embaixo do braço um antigo exemplar do jornal A Gazeta Esportiva cuja manchete era: “Túlio não é poste.”

Veja também:

 

Paradinha Esportiva
  • separator
  • comentários
publicidade