1 evento ao vivo
Logo do Seleção da Nigéria
Foto: terra

Seleção da Nigéria

Messi e a vitória do futebol

No dia em que França e Dinamarca protagonizaram uma marmelada, Messi e a Argentina renasceram das cinzas com um golaço no fim do jogo

26 jun 2018
18h46
atualizado às 20h14
  • separator
  • comentários

Que tarde para o futebol, senhoras e senhores! Messi, o gênio da bola, o malabarista, resolveu dar as caras na Copa do Mundo. Com seus 31 anos recém-completados, “La Pulga” nos presenteou com uma atuação de gala no primeiro tempo.

Messi comemora seu primeiro gol na Copa de 2018
Messi comemora seu primeiro gol na Copa de 2018
Foto: LANCE!

Logo aos 14 minutos, ele recebeu um lançamento longo de Banega, ajeitou com a coxa esquerda, deu mais um toquinho com o biquinho esquerdo e bateu cruzado, de perna direita, para abrir o placar e assegurar momentaneamente a vaga para as oitavas de final, já que Croácia e Islândia empatavam naquele momento.

Mas Messi queria mais. Primeiro, deixou Higuaim na boa para fazer o segundo, mas o atacante ficou no goleiro. Depois, cobrou falta e acertou a trave. A missão, que parecia impossível, estava cumprida ao final do primeiro tempo, porque islandeses e croatas (com nove reservas em campo) ficaram no zero a zero.

Veio o segundo tempo e tudo mudou. Um pênalti mal assinalado de Mascherano na área, aos 3 minutos, terminou em gol de Moses. A vaga agora estava nos pés da Nigéria, ainda mais quando aos 7 minutos, a Croácia abriu o placar contra a Islândia.

Como em um passe de mágica, o fantasma da eliminação acabou com o futebol vistoso da Argentina e a Nigéria por pouco não virou o jogo. Um típico drama argentino, que ganhou contornos ainda maiores, quando Sigurdsson empatou, de pênalti, para a Islândia, aos 30 minutos do segundo tempo.

Agora, em caso de novo gol islandês, a Argentina teria de fazer mais dois gols nos nigerianos, o que parecia impossível àquela altura. Mas eis que o imponderável entrou em campo a mando dos deuses do futebol. O relógio marcava 41 minutos, quando Mercado cruzou da direita e o zagueiro Rojo pegou de primeira, como um típico atacante, para mandar pra rede.

Festa argentina, que segurou a vaga na raça, com direito a Messi dando carrinho para manter em pé o sonho de ganhar a primeira Copa, em sua última chance. Para acabar com o sufoco de vez, a Croácia, que já estava classificada, não aliviou e ainda fez mais um gol, na vitória de dois a um sobre a Islândia.

Mas nem só de magia e malabarismo vive o futebol. Só faltou um palhaço dentro de campo para perguntar e responder em alto e bom som, antes do jogo França e Dinamarca: “Hoje tem marmelada?” “Tem, sim senhor.” Pois é, há algo de podre no reino dinamarquês e no reino francês. O empate assegurava o primeiro lugar para a França, que entrou com um time misto, e a vaga para a Dinamarca. E como num passe de mágica, saiu um 0 a 0 da cartola, o primeiro desta Copa, aliás, com direito a vaias de franceses indignados.

Ao contrário da marmelada europeia, o eliminado Peru se impôs diante da Austrália, que ainda tinha chances matemáticas, e venceu por dois a zero. Guerrero foi o nome do jogo. Primeiro, ele cruzou para Carrillo, que pegou de primeira e marcou um golaço. Depois, assegurou a vitória no segundo tempo, mandando pra rede depois de receber um passe de Cueva.

Nas oitavas, a França vai pegar a Argentina, enquanto a Dinamarca vai encarar a Croácia. A quarta-feira tem a Seleção de Tite brigando por uma das vagas do grupo E. Será que vai ser dia de Neymar? Será que vai dar Brasil e Alemanha? Façam suas apostas!

Fonte: Blog A Copa no sofá   

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade