PUBLICIDADE

Lutas

Paulo Borrachinha elege rival que acredita que pode fazê-lo recuperar a forma no UFC

A derrota para Sean Strickland, apesar de certa controvérsia, foi mais um tropeço de Paulo Borrachinha em suas últimas lutas no UFC.

19 jun 2024 - 22h45
(atualizado às 22h45)
Compartilhar
Exibir comentários
Paulo Borrachinha em foto promocional do UFC 298
Paulo Borrachinha em foto promocional do UFC 298
Foto: Divulgação/Instagram UFC Brasil / Esporte News Mundo

A derrota para Sean Strickland, apesar de certa controvérsia, foi mais um tropeço de Paulo Borrachinha em suas últimas lutas no UFC. Ainda mais com o brasileiro fazendo uma atuação aquém do que se espera de um lutador que se tornou conhecido por não fugir da briga em sua trajetória no octógono.

Em declarações recentes, o mineiro afirmou que quer deixar de lado o estilo 'seguro' e sem muito ímpeto que adotou nas recentes e que voltará a ter a postura do começo de sua passagem pelo UFC, apostando mais nos nocautes que o tornaram um dos lutadores que mais tiveram interesse dos fãs e tempos recentes.

- Lutei contra o Robert Whittaker e com o Strickland, duas lutas que achei que poderia vencer e não venci. Esses caras são durões, os melhores do planeta, o número um e o número dois. Eu achei que poderia vencê-los e não os venci - disse Borrachinha, ao abordar seus últimos combates no programa 'The MMAHour'

- O Whittaker é incrível, fiz um grande primeiro round e quase o nocauteei. Mas nos outros rounds, não o pressionei. Não pisei o pé no acelerador para ir pra cima e tentar o nocaute. Contra o Strickland, não foi uma luta para nenhum de nós dois, Não foi uma luta que todo mundo gostou de assistir. Fiquei chateado comigo e também com o Sean. Fiquei bravo com a minha performance porque não sou lutador de ficar pontuando - completou o peso-médio.

E Borrachinha sabe muito bem contra quem deseja mostrar que ainda é o mesmo da ascensão meteórica no UFC. Para o mineiro, Khamzat Chimaev, a quem deveria ter enfrentado em outubro passado mas uma infecção no cotovelo e a decorrente cirurgia impediram a luta de acontecer, seria o adversário perfeito para tal.

- Eu falei com o UFC, o Hunter (Campbell, executivo), o Dana White, e prometi que o velho Paulo voltaria. Aquele que vai para a frente, é agressivo, perigoso. Foi a promessa que fiz a mim mesmo e eles. E luta que mais traria em termos de entretenimento é contra o Chimaev. Seria perfeito, ele seria o lutador ideal para trazer aquele Paulo de volta - declarou o brasileiro.

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade