PUBLICIDADE

Brundle lamenta "vergonha" em Abu Dhabi, mas descarta armação: "Não foi manipulado"

Ex-piloto de Fórmula 1, Martin Brundle lamentou encerramento da temporada 2021 em Abu Dhabi, mas disse não ver evidências de que o resultado sofreu algum tipo de manipulação

18 jan 2022 04h02
ver comentários
Publicidade
Polêmico GP de Abu Dhabi ainda rende assunto nas análises de Fórmula 1
Polêmico GP de Abu Dhabi ainda rende assunto nas análises de Fórmula 1
Foto: AFP / Grande Prêmio

COMO MERCEDES E RED BULL INFLUENCIARAM A F1 2021?

As voltas finais do GP de Abu Dhabi continuam rendendo comentários em relação à polêmica que tomou conta da corrida. E Martin Brundle, ex-piloto da Fórmula 1 entre 1984 e 1989 e novamente entre 1991 e 1996, opinou sobre as decisões finais da direção de prova em Yas Marina — que desencadearam a controvérsia. O britânico lamentou profundamente o final da temporada, uma das mais equilibradas de todos os tempos, mas não acredita em qualquer tipo de manipulação do resultado, que coroou Max Verstappen como primeiro campeão holandês da história.

"Foi uma grande vergonha para a Fórmula 1", opinou Brundle em episódio especial do programa The F1 Show, da emissora britânica Sky Sports. "Tínhamos todos os olhares em nós, e foi uma bagunça. Confundiu as pessoas, irritou os fãs. Se você começa a acusar pessoas de armarem grandes eventos ou de manipulação, precisa ter boas evidências ou bons advogados com você", analisou.

"Não acho que foi [manipulado]", continuou. "Não acho que tenha havido tempo no caos que foram aquelas últimas voltas da corrida para sentar e pensar: 'Quem eu quero que vença essa corrida?", opinou.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Max Verstappen se tornou o primeiro holandês campeão mundial de F1 (Foto: Red Bull Content Pool)

Brundle criticou a "avalanche de informações" que foram passadas à direção de prova em sua opinião, com as pressões de Mercedes e Red Bull pelo rádio, além de diversas decisões que precisaram ser tomadas em apenas algumas voltas de disputa.

"Acho que houve uma avalanche de informações e pedidos, decisões vindas do controle de corrida, e erros foram cometidos", comentou. "Acho que tivemos uma versão híbrida, 'rápida', das regras com uma capa sobre isso. Nós meios que concordamos, não queremos corridas acabando sob safety-car ou bandeira vermelha. E é claro, isso é errado, e erros foram cometidos naquela noite", ressaltou.

Por fim, o piloto com passagens por diversos times da F1 — McLaren, Williams, Benetton, Jordan, Ligier, Brabham, Zakspeed e Tyrrell — repetiu não ter visto qualquer condicionamento do resultado final da corrida. Brundle ainda argumentou que Red Bull e Ferrari, que acabaram beneficiadas com as decisões, não fizeram nada de errado para alcançarem o pódio.

"Como você investiga isso, se a Red Bull não fez nada de errado, nem a Ferrari em terceiro lugar com Carlos Sainz, por exemplo", destacou. "Esse é o problema, mas eu não acredito, conhecendo as pessoas, que houve malícia envolvida no controle de corrida", encerrou.

Lewis Hamilton não se pronunciou após perder título da F1 para Verstappen (Foto: Lars Baron/Getty Images/Red Bull Content Pool)

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade