PUBLICIDADE

Dois dias no escritório é o ideal para o trabalhador híbrido

Pelo menos dois dias no escritório é o 'ponto ideal' para trabalhadores híbridos, de acordo com uma nova pesquisa

26 ago 2023 - 06h20
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Adobe Stock

Os funcionários preferem esmagadoramente o trabalho híbrido, mas o número ideal de dias no escritório ainda está em debate. De acordo com uma nova pesquisa da McKinsey, passar metade do tempo de trabalho no escritório é a configuração ideal para o trabalho híbrido, pois oferece aos funcionários a flexibilidade que desejam sem o isolamento do trabalho remoto em tempo integral.

Para os funcionários da McKinsey cujo trabalho frequentemente envolve viajar para locais de clientes por períodos prolongados, isso poderia significar passar uma semana trabalhando no escritório e ser remoto na semana seguinte. Para outros trabalhadores em uma programação de trabalho de 5 dias por semana, isso pode significar 2 ou 3 dias no escritório a cada semana.

Ao longo de 2022, a empresa de consultoria em gestão analisou dados de cerca de 4 mil equipes que trabalham ao redor do mundo, incluindo dados comportamentais e pesquisas anônimas, e descobriu que trabalhar no local 50% do tempo – seja em um local de cliente ou em um escritório – funciona melhor do que uma abordagem de tudo ou nada.

"Quando mais de 50% do tempo é gasto pessoalmente, vemos compensações começarem a surgir", diz Katy George, diretora de pessoas da McKinsey e sócia sênior da empresa, ao site CNBC Make It. "Indivíduos e equipes têm menos flexibilidade, tempo para recuperação e oportunidades para realizar um trabalho focado."

Nuanças que precisam ser consideradas

Para os funcionários da McKinsey, passar 50% do tempo de trabalho presencialmente não significa necessariamente que eles vão ao escritório nos mesmos dias da semana ou número de dias toda semana.

A McKinsey não impõe requisitos de presença no escritório para os funcionários, diz um porta-voz da empresa à CNBC Make It. Em vez disso, os funcionários e gerentes são incentivados a se reunirem pessoalmente para eventos de integração de equipe, reuniões individuais, apresentações a clientes e outros projetos, dependendo das necessidades de cada equipe.

A pesquisa constatou que quando os trabalhadores passavam pelo menos 50% do tempo juntos pessoalmente, isso melhorava muito a mentoria, colaboração, confiança entre colegas, retenção e desempenho geral da equipe. "Nossa pesquisa mostra que é o ponto ideal híbrido", diz George.

Segurança psicológica no trabalho

Por outro lado, trabalhar remotamente de dois a três dias por semana proporcionava aos funcionários mais tempo para um trabalho focado e melhorava os sentimentos de segurança psicológica e pertencimento das equipes.

Oferecer oportunidades iguais para que os funcionários trabalhem pessoalmente e remotamente beneficia um grupo mais amplo de funcionários em comparação com um único tipo de personalidade no local de trabalho, destaca Katy.

"O trabalho pode ser muito individual... Eu sou extrovertido ao extremo e tenho minhas melhores ideias em uma reunião de equipe, mas colegas que se identificam como introvertidos me disseram que suas ideias mais profundas surgem quando estão um pouco isolados", ela diz. "Esse tipo de arranjo dá às pessoas a oportunidade de aproveitar ambos os ambientes."

Mas, para ser eficaz, qualquer arranjo de trabalho deve ter limites claros e expectativas para os funcionários.

Em outras palavras, "você não deve exigir que as pessoas venham ao escritório se todos vão ficar concentrados em suas mesas o dia todo", diz ela. "Você precisa ancorar esses dias de escritório em torno de atividades que são mais eficazes presencialmente, seja oficinas de carreira, sessões de feedback ou brainstorms em equipe."

As fórmulas que estão dando certo

As estratégias de retorno ao escritório mais bem-sucedidas têm normas operacionais claras que vão além de quantos dias os funcionários devem trabalhar juntos pessoalmente.

"Os chefes também devem trabalhar com seus funcionários para descobrir: quais são nossos objetivos para nos encontrarmos pessoalmente? Como devemos fazer check-in regularmente? Como, exatamente, estamos medindo a produtividade?", explica Katy.

A maior vantagem de um arranjo híbrido verdadeiro, acrescenta ela, é que ele ajuda a evitar o esgotamento.

"Antes da pandemia, muitos de nós estávamos no piloto automático – éramos bons em aumentar o ritmo e trabalhar horas extras quando necessário, mas não éramos tão intencionais em incluir tempo de recuperação em nosso fluxo de trabalho", diz ela. "Minha esperança é que agora estejamos ficando mais inteligentes sobre como trabalhar e otimizar o desempenho ajustando os contornos do trabalho de acordo com nossas necessidades individuais."

Fonte: CNBC Make It

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade