PUBLICIDADE

Como funciona o bitcoin? Saiba mais sobre essa criptomoeda

Entenda como funciona a moeda digital, como investir e se vale a pena

22 mar 2024 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
O bitcoin é uma moeda digital descentralizada e que não necessita de terceiros para funcionar.
O bitcoin é uma moeda digital descentralizada e que não necessita de terceiros para funcionar.
Foto: Reprodução/Reuters

As moedas digitais em circulação no mercado já não são uma novidade nos dias atuais para os investidores. O bitcoin (BTC), por exemplo, se tornou popular em todo o mundo muito rapidamente. Criada em 2009, a moeda pode ser usada para a compra de serviços, produtos e quaisquer outros itens em estabelecimentos que aceitam a moeda como meio de pagamento

Nos últimos anos a disparada do bitcoin tem feito algumas carteiras ficarem milionárias. Funcionando fora do controle de autoridades governamentais ou instituições financeiras, quem possui BTC utiliza a tecnologia blockchain para registrar e verificar transações de forma segura e transparente e não depende de bancos, grandes corporações ou governos para movimentar o dinheiro.

Embora sua volatilidade e regulamentações ainda sejam tópicos de debate, a oferta do bitcoin é limitada a 21 milhões de unidades, o que contribui para sua natureza deflacionária. Para quem ainda tem dúvida do que se trata o bitcoin, o Terra preparou um guia sobre o assunto. Entenda a seguir como funciona, como investir e se vale a pena. 

Como funciona o bitcoin? 

O bitcoin é uma moeda digital descentralizada e que não necessita de terceiros para funcionar. Ela pode ser usada com as mesmas finalidades do dinheiro físico: compra de serviços, produtos e quaisquer outros itens em estabelecimentos que aceitam a moeda virtual. 

Como o BTC não é controlado por autoridades governamentais ou instituições financeiras, ele dá aos usuários controle total sobre suas finanças. Isso significa que é possível comprar, enviar e receber bitcoins sem nenhum intermediário, como bancos ou emissores de cartão de crédito. 

As transações realizadas com o BTC são protegidas por criptografia. Como não há uma autoridade central que acompanhe as transações, elas precisam ser registradas e validadas em uma blockchain. Essa tecnologia, que funciona como uma carteira digital, garante que as transações sejam seguras e transparentes

Como o bitcoin surgiu? 

O Bitcoin foi apresentado pela primeira vez como um software de código aberto por um programador -- ou um grupo de programadores -- anônimo sob o codinome Satoshi Nakamoto, em 2008. O BTC estreou em 2009 e ganhou popularidade como uma forma de investimento e meio de troca muito rapidamente.

A primeira transação foi o envio de 10 BTC ao criptógrafo estadunidense Hal Finney, um dos primeiros a apoiar o projeto Bitcoin.  

Como investir em bitcoins?

Para começar a investir, negociar bitcoin e outras criptomoedas basta se cadastrar numa plataforma exchange, ou carteiras digitais. Essas empresas funcionam totalmente online e fazem o intermédio da compra de bitcoin. A partir do cadastro, basta realizar a compra diretamente pela plataforma.

Quais os riscos de investir em bitcoin?

O bitcoin, como qualquer outra moeda, sofre variações diárias e segue a lei da oferta e da demanda – ou seja, quanto mais pessoas querendo, mais caro fica e vice-versa. Embora isso não seja um problema, há alguns riscos para o investidor de bitcoin. São eles: 

  • Bolha financeira - O conceito de bolha no mercado financeiro é de que, quando um investimento sofre muita especulação, seu preço fica supervalorizado;
  • Proibição em alguns países - Mesmo com o crescimento e popularidade, para muitos países, essa moeda ainda é vista com certa desconfiança. Na China, por exemplo, o bitcoin é proibido;
  • Dinheiro sem lastro - Seu valor não está atrelado a uma reserva financeira ou a um bem físico. Isso traz um risco, pois nada pode comprovar o seu valor;
  • Risco de pirataria e fraudes -  Apesar de o blockchain ser um sistema aberto e que todos têm acesso, isso não significa que não possa haver fraudes. Ainda que seja pequeno, existe risco de ataque hackers, vírus e outros problemas do mundo virtual;
  • Sem regulamentação específica - Como não há uma autoridade central que acompanhe as transações, muitas de suas operações acontecem sem uma lei específica, o que pode não garantir a sua validação em certos lugares. 

Vale a pena investir em bitcoins em 2024?

O BTC já disparou cerca de 70% este ano, em meio à crescente demanda por fundos negociados na Bolsa dos Estados Unidos, que foram autorizados a deter os tokens (o 'registro' digital de um ativo) pela primeira vez em janeiro deste ano. Segundo dados da empresa de análises Kaiko Research, divulgados pela agência Bloomberg, cerca de 1.500 carteiras ficam milionárias todos os dias com o bitcoin.

O ativo, portanto, pode ser atraente, mas possuí alguns riscos, mencionados acima. Vai do investidor entender seu perfil e seu limite em aplicações voláteis, como é o caso das criptomoedas, para saber o quanto é válido colocar dinheiro nesse mercado.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade