1 evento ao vivo

Veja 15 atividades para fazer em um cruzeiro de expedição

Viagens de aventura podem reservar atrações exclusivas para quem está a bordo

11 jan 2016
08h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Os grandes transatlânticos são praticamente cidades flutuantes, repletos de atividades a bordo e que podem deixar a visita aos portos em segundo plano. Não é o que acontece em cruzeiros de expedição. Feitos em pequenos navios, esses roteiros são desenhados para que os hóspedes tenham uma experiência o mais imersiva possível nos locais de escala. E pelo tamanho dessas embarcações, pela flexibilidade da agenda e particularidades das regiões visitadas, muitas atividades desses itinerários só podem ser feitas neles. A revista virtual sobre cruzeiros Cruise Critic fez uma lista de 15 coisas que você só pode fazer quando está em um navio de exploração. Confira.

Visitar lugares ermos

A bordo de navios de expedição é possível ir a lugares que nenhum outro consegue. É possível descobrir lugares remotos, tão vazios que você pode imaginar que foi o primeiro ser humano a pisar lá. Em roteiros pela Antártida, por exemplo, são comuns passeios em botes Zodiac para caminhar entre milhares de pinguins. No Ártico, você pode deparar com os restos de um antigo povoado feito de pedras e ossos de baleia. E alguns desses lugares são acessados apenas por navios de expedição.

Influenciar no itinerário do navio

Em outros cruzeiros você simplesmente embarca e segue o rumo pré-definido. Mas em um navio de expedição pode acabar tendo um papel na rota seguida. Caso você veja de longe uma baleia, ou um urso polar sobre um iceberg, pode avisar alguém a bordo, como o naturalista ou o próprio comandante. É possível que seja feita a mudança na rota para o mais próximo possível.

Chegar perto de animais selvagens

Após observar animais do deque do navio, você pode também vê-los bem de perto. Os cruzeiros de expedição oferecem passeios em botes que deixam os passageiros bem próximos de golfinhos, baleias, ursos e outros animais selvagens. Tudo com proteção, claro.

Demorar-se

Ao contrário de cruzeiros comuns, onde os horários são extremamente rígidos, nos de expedição eles são flexíveis. Se a natureza oferece algo interessante para ser visto, o capitão pode simplesmente ficar com o navio no local pelo tempo que for desejado pelos hóspedes. E você pode passar um roteiro todo sem a embarcação ancorar em um porto tradicional.

Tomar banho em uma cachoeira a bordo

Se em grandes transatlânticos para aproveitar eventuais cachoeiras nas escalas você precisa sair do navio e fazer um longo passeio, nos pequenos navios de expedição é possível ir direto para elas. Os comandantes podem levar as embarcações para quedas d'água nas costas da região e posicionar a proa próxima o suficiente para que os hóspedes se banhem diretamente no navio.

Dar um mergulho

Em alguns destinos de expedição você pode saltar da plataforma na popa do navio direto no mar para um mergulho, até nas gélidas águas do Ártico. Em outros destinos como Havaí, Galápagos e Alasca é possível mergulhar, nadar, andar de caiaque ou praticar stand-up paddle diretamente do navio.

Aventuras são forte de cruzeiros de expedição
Aventuras são forte de cruzeiros de expedição
Foto: Vladimir Melnik/Shutterstock

Usar equipamentos complementares

Embarcar num cruzeiro de expedição não significa ter que comprar um monte de equipamentos para participar das atividades. Os navios carregam trajes de mergulho, máscaras de snorkel e diversos outros itens, suficientes para todos a bordo e sem custo adicional. Algumas companhias que viajam pela Antártida até levam parcas para cada passageiro usar durante a viagem e depois levar para casa como souvenir.

Vestir-se confortavelmente

Não existe código de vestimenta em cruzeiros de expedição, portanto você pode ir para o restaurante no jantar com um abrigo, calças jeans ou até de bermuda. E assim já estará pronto para o caso de ser interrompido para subir ao deque e observar golfinhos que estejam próximos, ou um urso polar na costa.

Ajudar a guiar o navio

As pontes de comando dos navios de expedição costumam ser abertas para visitação dos hóspedes. Assim é comum conhecer o capitão e sua equipe, e eles podem até deixar você girar o timão, sob supervisão. E as visitas podem ser feitas em qualquer momento, sem avisar. A única exceção é quando as condições do tempo estão muito ruins, mas é sempre avisado aos passageiros quando a ponte está fechada.

Jantar com os locais a bordo

Em alguns destinos as companhias convidam moradores de vilarejos visitados para subir a bordo e participar de jantares com os passageiros. Alguns deles retribuem o convite e são os hóspedes que descem para participar de atividades culturais da região.

Pescar para o jantar

Na Amazônia peruana é possível pescar piranhas que depois estarão no seu prato durante o jantar, junto com outros peixes comprados em mercados locais. Essa atividade costuma acontecer pelo menos uma vez por viagem. Em cruzeiros de expedição na Colúmbia Britânica, no Canadá, apenas camarões e caranguejos capturados a bordo são usados em piqueniques.

Perder o contato com o mundo

Se você não consegue ficar longe da internet ou do telefone, prepare-se, pois é provável que em cruzeiros de expedição equipamentos como smartphones, tablets e notebooks tenham pouca serventia. Muitos desses navios visitam regiões remotas, sem sinais de celular ou wifi. A vantagem é que você conseguirá uma experiência muito mais profunda.

Espreitar a noite

Excursões noturnas são completamente diferentes a bordo de um cruzeiro de expedição. No rio Amazonas você pode descer do navio e embarcar num bote para um passeio na escuridão da região e observar jacarés e outros animais.

Observar a Via Láctea

De grandes navios também é possível observar as estrelas, mas não da mesma forma que em um de expedição. As luzes dos transatlânticos impedem que se tenha uma boa visão, coisa que não acontece quando se está em uma embarcação no meio do nada, com escuridão quase total. Nessas ocasiões pode-se conferir praticamente todas as estrelas e o rastro da Via Láctea.

Servir-se do próprio drinque

Imagine um eclipse lunar às 3 da manhã, os hóspedes posicionados no deque em cadeiras para observá-lo e você imagina que um copo da sua bebida preferida seria ideal para acompanhar o fenômeno natural. Mas os funcionários do bar já estão dormindo. Em alguns cruzeiros de expedição isso não é problema, pois os passageiros podem se servir diretamente, até porque geralmente essas viagens funcionam no sistema all inclusive.

Veja 50 cruzeiros temáticos e saiba qual é o ideal para você Veja 50 cruzeiros temáticos e saiba qual é o ideal para você

Veja também:

Beirute: A mãe em trabalho de parto durante a explosão
Fonte: Canarinho Press
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade