PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Mulher leva tiro na cabeça durante briga e se mantém consciente; entenda como

A empresária foi atingida por uma bala na cabeça e ainda ajudou o marido a encontrar a localização de hospital

17 abr 2024 - 14h58
(atualizado às 14h59)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Terapeuta capilar foi atingida por um tiro na cabeça durante um desentendimento no trânsito na Região Metropolitana de Goiânia e Trindade, ela conseguiu localizar o hospital no GPS e foi socorrida e já teve alta.
Foto: Reprodução/Instagram @damarizmagalhaes/TV Anhanguera

A terapeuta capilar Damariz Magalhães Chastinet Pinho e seu marido Marco Antonio estavam indo lanchar com o filho quando ela foi atingida por um tiro na cabeça após um desentendimento no trânsito entre Goiânia e Trindade, na Região Metropolitana da capital de Goiás.

A mulher ficou com a bala alojada no couro cabeludo e, ainda assim, conseguiu colocar o endereço do hospital no GPS para que Marco Antonio a ajudasse no socorro. 

“Senti o impacto e já imaginei que tivesse sido um tiro. Eu falei para o meu esposo, ele não conseguiu acreditar, porque eu fiquei o tempo todo consciente. Depois que tirou o raio-x, todo mundo ficou impressionado, porque foi um milagre mesmo. A bala estava na cabeça, mas não chegou a atingir o crânio”, explicou Damariz à TV Anhanguera.

Ela foi encaminhada Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol), onde fez uma radiografia que mostrou que a bala ficou alojada do lado de fora, na parte de trás, do crânio de Damariz. Ao g1, ela contou que passou por uma cirurgia durante o fim de semana, já teve alta e está bem.

Crânio humano é bastante resistente

Em entrevista ao Terra, o neurocirurgião Felipe Mendes explica que a capacidade de se manter consciente após um tiro na cabeça depende de vários fatores, como o trajeto da bala, a velocidade e a área do cérebro afetada. 

“Tiros que não penetram o crânio ou apenas atingem o couro cabeludo não impactam as áreas cerebrais responsáveis pela consciência. Como o projétil não interrompe as funções vitais do cérebro, a pessoa permanece consciente”, conta o especialista.

Além disso, o médico explica que o crânio humano é bastante resistente e pode impedir que a bala penetre no tecido cerebral, especialmente se atingido em um ângulo que não favorece a penetração ou se a bala perde energia ao atravessar outro objeto antes de atingir a cabeça.

O neurocirurgião alerta que lesões na cabeça podem levar a complicações tardias, como infecções locais, meningites e vazamento do líquido cefalorraquidiano, situações que podem gerar graves complicações se não tratadas precoce e corretamente.

“A avaliação e o tratamento adequados são fundamentais mesmo em casos de lesões cranianas sem sintomas graves imediatos”, indica o especialista. 

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade