PUBLICIDADE

Grávida de 34 semanas, atleta participa de prova de corrida

Especialistas dizem que é seguro continuar o exercício durante uma gravidez sem complicações, embora em menor intensidade do que antes

27 jun 2014 11h24
ver comentários
Publicidade
Foto: Getty Images

Grávida de 34 semanas, a atleta americana Alysia Montano, de 28 anos, participou da corrida de 800 m do USA Track & Field Outdoor Championships, na última quinta-feira (26), Estados Unidos. Completou a prova em 2 minutos e 32 segundos, 35 segundos mais lenta do que o seu recorde pessoal. “O que descobri foi que se exercitar durante a gravidez é realmente muito melhor para a mãe e o bebê”, disse. O treino tem aval de seu médico. Os dados são do jornal Daily Mail.  

Alysia contou que não tinha como objetivo ganhar, mas participar pela alegria de competir. “Correr é muito agradável para mim, porque fui capaz de pensar nisso como uma criança faz. Elas são tão inocentes, elas estão querendo ganhar, mas estão se divertindo também. Conforme você envelhece, é fácil colocar importância em coisas que realmente não importam e, em seguida, sucumbir a essa pressão”, escreveu em seu blog.

Especialistas dizem que é seguro continuar o exercício durante uma gravidez sem complicações, embora em menor intensidade do que antes. “Fui correndo ao longo da minha gravidez e me senti muito, muito bem durante todo o processo”, comentou Alysia.

Segundo o The Royal College of Obstetricians and Gynaecologists (RCOG), estudos descobriram que bebês de mães que se exercitam se saem melhor no nascimento, porque podem tolerar melhor o trabalho de parto. O Serviço de Saúde Nacional, do Reino Unido, recomenda 30 minutos de atividade física moderada para mulheres grávidas e o RCOG acrescenta algumas precauções, como não se exercitar em alta intensidade para não aumentar a taxa de batimentos do coração para o seu máximo e não correr quando estiver muito quente devido a um risco de sobreaquecimento.
 
“Benefícios maternos parecem ser tanto físicos quanto psicológicos. Muitas queixas comuns da gravidez, incluindo fadiga, varizes e inchaço das extremidades, são reduzidas em mulheres que se exercitam. Além disso, mulheres ativas têm menos insônia, estresse, ansiedade e depressão”, afirma o RCOG. As futuras mamães que suam a camisa também ganham menos peso, reduzindo riscos de saúde associados à obesidade. 

Fonte: Ponto a Ponto Ideias Ponto a Ponto Ideias
Publicidade
Publicidade