PUBLICIDADE

FIV: como é o tratamento que Brunna vai fazer para ter filho com Ludmilla

De acordo com assessoria de imprensa da cantora, as duas planejam ter o bebê em 2024; Ludmilla doará o óvulo e Brunna vai gerar a criança

11 dez 2023 - 13h21
(atualizado às 13h25)
Compartilhar
Exibir comentários

Recentemente a cantora Ludmilla anunciou que planeja ter um bebê com a parceira Brunna Gonçalves em 2024. Em entrevista ao Fantástico, o casal revelou que o método escolhido para a gestação é a fertilização in vitro, também conhecida como FIV. De acordo com a assessoria de Lud, quem engravidará será Brunna.

Ao contrário da inseminação intrauterina (IIU), em que os espermatozoides são introduzidos diretamente no útero da mulher, na FIV apenas um único espermatozoide, previamente selecionado, é inserido dentro do óvulo fecundado em laboratório. No caso das duas artistas, o óvulo será de Ludmilla, mas Brunna será a responsável pela gestação da criança.

O procedimento da FIV é, normalmente, dividido em quatros etapas. A primeira delas é a realização de exames para avaliar o sistema imunológico, metabólico e hormonal da mulher. É nesta etapa que Lud e Brunna estão.

A cantora Ludmilla e sua mulher, Brunna Gonçalves. As duas pretendem ter um filho em 2024
A cantora Ludmilla e sua mulher, Brunna Gonçalves. As duas pretendem ter um filho em 2024
Foto: @ludmilla

Depois, começa a medicação hormonal para estimular o crescimento de folículos e a liberação de até dez óvulos de uma vez, o que aumenta as chances de fecundação. Na terceira etapa, as células reprodutivas são recolhidas e fecundadas em laboratório com o sêmen de um doador (anônimo ou não).

Os embriões ficam cerca de 14 dias in vitro, até serem congelados. É aqui que começa a quarta etapa. Na menstruação seguinte, os óvulos são óvulos são descongelados e implantados no útero nos dias mais férteis do ciclo. A média se sucesso pode variar de 60% em mulheres até 35 anos até 10% por volta dos 43 anos. Brunna tem 31 anos e Lud, 28.

Segundo Rita de Cássia, médica ginecologista e obstetra especialista em gravidez de alto risco, a FIV oferece pouco risco para as pacientes. “Só se a paciente chegar com a demanda de ter um filho na faixa dos 49 anos, tiver histórico de trombose, AVC, hipertensão, eu aconselho que adote. Esse não seria um perfil com indicação para engravidar na minha opinião, porque a gravidez tem um grande impacto no organismo", avalia a especialista. Brunna Gonçalves tem 31 anos e Ludmilla, 28.

Ainda segundo a médica, o preço do procedimento no Brasil varia entre R$ 25 a R$ 40 mil, a depender de uma série de fatores. "É um método que demanda um investimento maior. A fila para realizar pelo sistema público gira em torno direto em torno de quatro a cinco anos", explica. Ludmilla e Bruna pretendem fazer o procedimento de forma particular em uma clínica nos Estados Unidos.

Como o cérebro feminino muda com as fases da menstruação Como o cérebro feminino muda com as fases da menstruação

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade