PUBLICIDADE

Veja como a busca constante pela perfeição pode ser prejudicial

A procura pela excelência deve ser equilibrada com a aceitação de imperfeições

22 fev 2024 - 16h31
(atualizado às 17h48)
Compartilhar
Exibir comentários

A incessante busca pelo perfeccionismo tornou-se uma característica proeminente na sociedade contemporânea, impulsionada por padrões elevados e expectativas implacáveis. Embora o desejo de alcançar a excelência seja compreensível, é crucial reconhecer os potenciais impactos negativos dessa busca incansável. Isso porque ela pode exercer uma pressão insustentável sobre os indivíduos, afetando negativamente sua saúde mental, emocional e física.

O perfeccionismo pode impactar negativamente relacionamentos, carreiras e bem-estar emocional
O perfeccionismo pode impactar negativamente relacionamentos, carreiras e bem-estar emocional
Foto: VectorMine | Shutterstock / Portal EdiCase

O perfeccionismo pode se manifestar em todas as áreas da vida, desde os relacionamentos interpessoais até a esfera profissional e, inclusive, nas dinâmicas familiares. Encontrar um equilíbrio saudável entre a busca pelo melhor e a aceitação da imperfeição é essencial para uma vida plena e satisfatória.

Impactos do perfeccionismo

O perfeccionista evita começar algo novo ou arriscar-se por receio de falhar e, consequentemente, deixar que percebam suas fraquezas. Este medo é um dos maiores impedimentos para o crescimento e o amadurecimento, seja pessoal, profissional ou emocional. Isso acontece porque a voz interna do perfeccionista é frequentemente severa e implacável, focando em pequenos erros e esquecendo as conquistas.

"No âmbito dos relacionamentos, o perfeccionismo pode criar expectativas irrealistas para os parceiros, levando a conflitos e frustrações. A constante busca por um padrão inatingível pode gerar ansiedade e afastar as pessoas, dificultando a construção de conexões genuínas", explica o psicólogo André Carneiro, especialista em terapia cognitivo-comportamental (TCC).

Ainda conforme André Carneiro, no ambiente profissional, o perfeccionismo pode levar a uma busca implacável por resultados impecáveis, levando à exaustão e procrastinação. O medo do erro pode prejudicar a criatividade e a inovação, além de gerar estresse crônico, afetando negativamente o desempenho no trabalho.

A terapia cognitivo-comportamental pode auxiliar as pessoas a cultivarem uma mentalidade mais flexível
A terapia cognitivo-comportamental pode auxiliar as pessoas a cultivarem uma mentalidade mais flexível
Foto: wavebreakmedia | Shutterstock / Portal EdiCase

Prejuízos do perfeccionismo

Buscar a perfeição constantemente pode levar ao esforço excessivo e a uma incessante pressão interna, culminando na síndrome de burnout e trazendo sérios prejuízos à saúde mental. "No começo, o perfeccionismo pode mascarar-se de dedicação e comprometimento, mas, por trás, esconde armadilhas que limitam a felicidade e minam a saúde mental", completa o psicólogo.

Dentro da família e em círculos sociais, o perfeccionismo pode criar um ambiente de pressão constante, em que as expectativas elevadas podem gerar sentimentos de inadequação. Isso pode afetar negativamente o bem-estar emocional dos indivíduos envolvidos, criando um ciclo de autocrítica e insatisfação. Segundo o psicólogo André Carneiro, expectativas irreais podem causar mal-entendidos com entes queridos, culminando em relações tensas e desgastadas.

É fundamental reconhecer que a busca pela perfeição é inatingível e pode ser prejudicial para a saúde mental. E, conforme o psicólogo, a terapia cognitivo-comportamental pode ajudar os indivíduos a desenvolverem uma mentalidade mais flexível, aceitando imperfeições e aprendendo a lidar com os desafios de maneira mais saudável.

Terapia não é tudo igual: descubra qual abordagem funciona melhor pra você Terapia não é tudo igual: descubra qual abordagem funciona melhor pra você

Vivendo com menos rigidez e cobranças

Para superar o perfeccionismo, é crucial praticar a autocompaixão e estabelecer metas realistas. A aceitação da imperfeição não apenas promove um ambiente mais saudável, mas também permite o crescimento pessoal e profissional.

Reconhecer e tratar o perfeccionismo é um passo essencial para construir uma vida mais equilibrada e gratificante. De acordo com o psicólogo, a jornada de autoaceitação é única para cada um, mas o apoio terapêutico é fundamental para promover uma transformação positiva na maneira como enfrentamos desafios e lidamos com as pressões da vida.

Por Renata Maia

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Publicidade