3 eventos ao vivo

Saiba o que é jejum intermitente e como emagrecer de forma saudável

Conheça o método de emagrecimento que conquistou as famosas e pode ser realizado sem qualquer complicação

8 ago 2020
07h00
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Prato de comida com talheres imitando ponteiros de um relógio e comidas em uma parcela dele
Prato de comida com talheres imitando ponteiros de um relógio e comidas em uma parcela dele
Foto: Shutterstock / Alto Astral

Polêmico e aparentemente eficaz para a perda de peso, o jejum intermitente tornou-se famoso entre celebridades como a atriz Deborah Secco, que utilizou o método para eliminar os quilos que ganhou durante a gravidez. Mas, ao contrário do que muitos pensam essa prática não é nenhuma novidade.

Segundo o especialista em nutrição otimizada e emagrecimento, Rodrigo Polesso, ela sempre foi algo comum entre as pessoas, só não tinha esse nome específico. Antes, era rotineiro ter duas ou três refeições por dia e nada mais. Hoje, é dito que precisamos comer a cada 3 horas ou até mais, dependendo do aconselhamento do profissional.

O profissional explica que, ao fazer o jejum intermitente, a técnica permite que o organismo tenha tempo de digerir as refeições de forma correta, queimando o açúcar e a gordura de má qualidade. Do contrário, se o corpo passa todo momento processando alimentos, ele sempre estará em estado anabólico e nunca conseguirá se reciclar.

E, afinal, o que é esse jejum intermitente?

Segundo Arlindo Fiorentin, estruturador do curso de Alimentação Generativa Ortobioenergética, o método mais usado é o chamado 16/8, que consiste em 16 horas de jejum, contra 8 horas de alimentação.

No período de 8 horas, não importa o número de refeições, nem a quantidade de alimentos ingeridos. Já no período de 16 horas, estão liberados o consumo de água, chás e café. Esse procedimento é indicado para principiantes que visam a maior perda de peso.

Mas, vale saliente que o melhor intervalo de ingestão e restrição calórica irá depender do perfil genético, hábitos alimentares atuais, rotina e resultados de diversos exames da pessoa. Existem intervalos que vão de 12 à 24 horas.

Benefícios

Ele previne doenças como a obesidade e o câncer, aumenta o tempo de vida, aumenta o nível de massa magra e melhora a composição corporal. Causa maior oxidação de gordura (queima), diminuição de colesterol LDL, redução dos níveis de insulina, modulação da inflamação e redução do estresse oxidativo.

Ainda gera uma melhoria da motilidade intestinal, redução da frequência cardíaca e pressão arterial, redução da leptina, redução de apetite e desejos por doces.

Quem pode fazer

É indicado para todas as pessoas que buscam melhoria na saúde geral. Porém, o jejum intermitente não é recomendado para indivíduos com histórico de distúrbios alimentares, grávidas, lactantes, crianças, pessoas com diabetes ou insulinodependentes e com distúrbios gástricos.

Idosos acima de 70 anos ou em circunstâncias de alto estresse, pessoas que realizam excesso de treino ou com necessidade de alta performance e pessoas que buscam o crescimento da massa muscular e ganho de peso, também não devem aderir ao método.

Como fazer jejum intermitente

Basicamente, no método 16/8, a pessoa pode fazer todas suas refeições dentro de uma janela de 8 horas por dia e passa 16 horas sem comer no total.

"Na prática, seria assim: você janta às oito da noite. Na manhã seguinte você pula o café da manhã e almoça ao meio dia. Dessa forma você passou 16 horas em jejum (contando a noite de sono). A partir do meio-dia, você poderia fazer todas suas refeições até às oito da noite, quando você teria seu jantar novamente. Esse modelo é flexível e pode ser adaptado para a rotina de cada um", afirma Polesso.

O ideal é que, nos períodos de ingestão, haja uma dieta variada e equilibrada, com ingredientes saudáveis contendo todos os nutrientes essenciais. Nada de consumir besteiras ou calorias vazias.

E o mais importante: não é uma dieta!

Segundo Polesso, ao contrário do que muitas pessoas pensam, jejum intermitente não é uma dieta e, sim, uma reeducação alimentar. "Dieta é o que você faz nos momentos em que come, já o jejum ocorre justamente da ação de ficar períodos sem comer", ressalta.

Veja também:

Venezuela: os trabalhadores da saúde com salários de US$ 4 por mês e sem equipamentos de proteção
Alto Astral
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade