PUBLICIDADE

Veja como viajar de avião com cachorro de suporte emocional 

Confira algumas regras importantes para embarcar com animais em voos

11 out 2023 - 10h03
Compartilhar
Exibir comentários

Um cachorro de suporte emocional é um animal treinado para proporcionar conforto, apoio e alívio emocional para pessoas que enfrentam condições de saúde mental, como ansiedade, depressão, estresse pós-traumático, entre outras. Ao contrário dos cães-guia, treinados para auxiliar pessoas com deficiência visual, os cães de suporte emocional são destinados a oferecer apoio psicológico e bem-estar. 

Para viajar com cachorro de suporte emocional, é preciso atenção a vários aspectos
Para viajar com cachorro de suporte emocional, é preciso atenção a vários aspectos
Foto: Javier Brosch | Shutterstock / Portal EdiCase

Viagens com animais de suporte emocional  

No Brasil, não há uma legislação específica com regras para as pessoas viajarem com animais de suporte emocional na cabine do avião. Dessa forma, as diretrizes são determinadas pelas companhias aéreas e podem variar a depender do destino, seja ele nacional ou internacional.  Por outro lado, as empresas costumam oferecer a opção de os tutores viajarem com os seus animais de estimação na cabine do avião. Geralmente, esse tipo de serviço se chama "pet na cabine".  

Na Latam, por exemplo, a viagem com cachorro de suporte emocional só é permitida em trechos entre Brasil e exterior - que reconhecem o conceito de animal de suporte emocional -, isto é, em voos internacionais com origem ou destino no México, ou Colômbia, e em voos domésticos na Colômbia.  

Segundo Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), na Portaria nº 12.307, "o transportador aéreo poderá determinar o preço a ser pago por seus serviços de transporte de animais de estimação ou de assistência emocional". 

Os documentos devem ser viabilizados com antecedência à viagem e organizados para evitar impasses
Os documentos devem ser viabilizados com antecedência à viagem e organizados para evitar impasses
Foto: Zivica Kerkez | Shutterstock / Portal EdiCase

Documentação para viajar com o cachorro  

Além de apresentar documento médico confirmando a necessidade de viajar com o cachorro de suporte emocional, o tutor precisa fazer uma solicitação com antecedência para a companhia aérea para viajar com o animal e preencher alguns formulários disponibilizados pela empresa.   

Aliás, os transportadores aéreos podem solicitar outros documentos como carteira de vacinação do animal e o Certificado Veterinário Internacional (CVI), que é emitido junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.  

Recomendações para a viagem  

Além da exigência de idade e peso do animal, algumas das companhias aéreas solicitam que o animal utilize coleira de identificação e, caso seja solicitado pela tripulação, focinheira. Além disso, o passageiro deve levar tapete higiênico para o animal fazer as necessidades fisiológicas.  

Ademais, a Portaria nº 12.307 da ANAC explica que, antes da viagem, os animais deverão ser submetidos à inspeção de segurança e os tutores precisarão comprovar o cumprimento de todos os requisitos sanitários e de saúde animal exigidos pela legislação. 

Além disso, o documento também determina que a companhia aérea pode oferecer o serviço de transportar o animal de assistência emocional na cabine de passageiros ou despachado no compartimento de bagagem e carga da aeronave, respeitando as regulamentações específicas de segurança operacional e de segurança da aviação civil.  

Nesse sentido, há empresas que recomendam que o animal de suporte emocional seja transportado nos pés do tutor, e não seja colocado na saída de emergência.  

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Publicidade