2 eventos ao vivo

Veja o que é verdade e o que é mito entre irmãos gêmeos

Danielle Sanches

Desde que o mundo é mundo, o nascimento de irmãos gêmeos é algo que fascina o ser humano. "Talvez por ser algo diferente ou por serem duas pessoas 'iguais' mas com vidas diferentes, isso sempre atraiu o ser humano", acredita a psicóloga Cecília Zylberstajn, especialista em psicoterapia de adolescentes e adultos, em São Paulo.

Além da incrível semelhança, a conexão especial que ambos compartilham é algo que nem a ciência conseguiu decifrar ainda. "Existe muito sobre o assunto que ainda não tem explicação", diz a psicóloga.

Como qualquer assunto envolto em mistério, muito do que acontece desde a concepção até o dia a dia dos gêmeos acaba sendo motivo de suspeita. Afinal, o que é verdade e o que não passa de mito na vida dos irmãos gêmeos? Veja abaixo a resposta para algumas das principais questões sobre essa relação:

Todos os gêmeos são idênticos
Mito. Apenas os que se originam do mesmo óvulo fecundado (chamados de univitelinos) são iguais e nascem com o mesmo sexo. Os gêmeos bivitelinos, originados de dois óvulos fecundados ao mesmo tempo, têm a mesma semelhança física e genética encontrada entre irmãos não gêmeos e podem ou não ser do mesmo sexo.

Eles choram juntos
Verdade. "Eles passaram nove meses juntos na barriga da mãe", explica Alessandra Cavalcante, pediatra do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo. "Por isso, quando um fica irritado, o outro fica também", explica. E isso tem mão dupla: juntos, eles ficam mais tranqüilos também.

Um nasce maior do que o outro
Verdade. Mas a diferença é bem pequena. "Cerca de 200 ou 300 gramas é de diferença no peso é normal", afirma a pediatra Alessandra Cavalcante. Gêmeos com uma diferença muito grande de tamanho e peso são raros e geralmente vítimas de doenças durante a gravidez. "A maturação da placenta pode ter sido diferente para os dois e um deles recebeu mais nutrientes", explica a médica.

Um sente o que o outro sente
Depende. "É inegável a irmão entre irmãos gêmeos, principalmente os idênticos", afirma Cecília Zylberstajn, especialista em psicoterapia de adolescentes e adultos. Segundo ela, é possível, sim, que a conexão emocional se torne física. "O cérebro possui a capacidade de se conectar ao outro de forma a sentir o que ele sente", explica. A ciência, no entanto, ainda não conseguiu explicar quando ou como isso acontece.

Gêmeos idênticos podem se passar um pelo outro
Depende. Os irmãos adoram trocar de lugar na escola, por exemplo, mas nem sempre conseguem enganar. "A mãe dificilmente vai confundí-los", afirma a pediatra Alessandra Cavalcante. Segundo ela, mesmo sendo muito parecidos, a mãe - que convive mais com as crianças - nota certas diferenças sutis de comportamento ou detalhes físicos que passam desapercebido para estranhos.

Eles têm dificuldade para ficar separados
Depende. Gêmeos ficam muito bravos quando são confundidos, mas nem sempre conseguem eles próprios se separarem. Embora sejam dois indivíduos e cada um com sua personalidade, construir essa identidade não é simples. "Um tem o outro como referência na vida e para eles é complicado fazer as próprias escolhas e conseguir manter a conexão com o irmão", acredita a psicóloga Cecília Zylberstajn.

Eles têm a mesma impressão digital
Mito. Os gêmeos idênticos carregam o mesmo material genético e são frequentemente chamados de clones perfeitos, por possuírem o mesmo DNA. Mas, mesmo assim, carregam digitais diferentes, pois sua formação dentro do útero não segue a mesma fórmula nos dois bebês.

Os dois têm as mesmas doenças
Depende. No caso de gêmeos idênticos, como os dois possuem a mesma configuração genética, teoricamente possuem, sim, chances de desenvolver as mesmas doenças. "Isso não acontece nos gêmeos que não são idênticos, quando a semelhança genética é igual a de irmãos não gêmeos", explica a pediatra Alessandra Cavalcante.

Veja o que é verdade e o que é mito entre irmãos gêmeos
Veja o que é verdade e o que é mito entre irmãos gêmeos
Foto: Getty Images
Fonte: Terra
publicidade