5 eventos ao vivo

Você já se sentiu uma mãe insuficiente?

27 mar 2018
13h02
  • separator
  • comentários

Estava lá escrito à caneta, no alto da avaliação bem pertinho da minha assinatura. Sim, precisei assinar a prova da minha filha e provar que eu tinha visto o in-su-fi-ci-en-te deixado pela professora.

Foto: Mãe com Prosa

Ela? Chorou sofrida por conta do fracasso. Fracasso, que fracasso, gente? Foi a primeira prova de multiplicação da vida dela, com exercícios que até eu teria dificuldades para entender e também que prova foi aquela? O desenho estava apagado, o conteúdo era chato pra caramba e quer saber? Aqui em casa a gente não se preocupa com esse negócio de nota e ponto final!

Mas não é bem assim, né? O sistema educacional insiste em avaliar o conhecimento de uma criança por meio de gráficos e números esquecendo de medir o esforço, a determinação e a superação de alguém. Sistema bem pouco inteligente é o que eu acho, mas é ele quem apita o jogo e dá as regras.

Eu (que fingi não me abalar), a professora ( que foi realmente fofa) e o pai (que ficou com o coração partido) oferecemos o nosso abraço e a consolamos dizendo que isso não é nada, que ela vai "pegar" o conteúdo rapidinho, que o importante na vida é ser uma pessoa disciplinada e não se abater!

Pois escrevo agora com um nó na garganta e um gosto amargo na boca como se a insuficiência fosse minha e não dela. Não sou uma mãe suficientemente boa? Uma mãe suficientemente dedicada deveria ter estudado naquela quinta à noite, véspera da prova, quando ela voltou super cansada do aniversário do colega? Aliás, uma mãe suficientemente responsável nem deveria ter permitido que ela fosse na festa já que tinha prova no dia seguinte. E todas as vezes naquela semana que a gente ficou batendo papo e não estudou? E meu trabalho que, apesar de permitir meus remotos ainda me toma muito tempo e tira as horas sagradas que eu deveria ter com ela para treinar a tal da multiplicação? E meus projetos pessoais tipo o Mãe com Prosa, meu vinho com as amigas, o cinema com o marido, o livro que quero ler sem pressa e o site de sapatos que é pura terapia, deveriam ter sido deixados por conta da primeira prova de matemática?

Está aberta a temporada de provações, culpas, dilemas e convicções. Vamos ver se tenho coragem de bancar o que realmente sinto e penso (cada vez mais). O que é uma dificuldade em multiplicação aos 8 anos? O que é uma letra trocada diante de um mundo de possibilidades de aprendizado? O que significa ser suficiente no mundo em que vivemos? Brincar? Dar risada antes de dormir? Ser uma boa pessoa? Ter amigos legais? Ser responsável? Ser feliz? Pra mim isso sim é o suficiente pra viver.

Mãe com Prosa

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade