1 evento ao vivo

Seu filho será o homem que você gostaria que estivesse ao seu lado hoje?

6 mar 2018
17h27
  • separator
  • comentários

Antes de começar o texto, já peço licença e desculpas para as mães de meninos. A imagem que acompanha a crônica é duplamente feminina e o meu olhar também.

Foto: Mãe com Prosa

Não quero ofender ninguém e nem dar pitaco onde não sou chamada. Não, não sei o que significa ser mãe de um rapazinho, apenas sei o significado de ser mãe de duas meninas, há mais de oito anos.

Toda vez que elas me contam sobre o mal comportamento dos meninos, faço a inversão de papéis e me parece um tanto surreal.

Meninas que brincam de baixar as calças em festas infantis, que xingam palavrões por aí e pedem beijinhos (inocentes?) como senha para abrir passagem, seriam praticamente queimadas em fogueiras morais. Já pensou se um filho seu chegasse em casa contando isso de uma menina?

Me pergunto por que razão somos implacáveis com elas e bem mais compreensíveis com eles? Somos não somos? Ah, gente, moleque é assim mesmo! Difícil controlar! A gente precisa dar um desconto! Quando crescer um pouco passa! É muita energia!!!

Por que em pleno século 21 ainda ouvimos pessoas tirando onda dizendo que meninas são fornecedoras? Que lamentam pelos os pais de garotas lindas porque os filhos dos amigos…. Nunca ouvi ninguém falando naturalmente para uma mãe manter o filho lindo em casa porque senão… Por que meninas devem falar obrigado, serem educadas e delicadas quando, mesmo de forma inconsciente, aceitamos que meninos sejam boca suja e façam brincadeiras de mal gosto?

Conheço gente que se orgulha do fato de que um dia o filho será o "pegador" da escola, mas o inverso seria um escândalo nacional!

Não posso generalizar, jamais! Conheço meninos adoráveis, que me cumprimentam, falam obrigado e brincam com as minhas filhas de forma respeitosa. Mas conheço meninos criados por mulheres que abominam homens machistas, que reclamam de homens que esperam sempre serem servidos, mas que não imaginam que um dia o filho que educam pode vir a ser um deles.

Não quero ser radical, mas ando preocupada e se me derem licença aproveito o espaço para fazer um apelo: vamos criar meninos iguais aos caras que gostamos de ter ao nosso lado? Vamos ensinar que respeito, sensibilidade, força e inteligência são valores que independem     de gênero?

Estou me esforçando (e muito) para educar minhas filhas pensando que tipo de mulheres quero deixar para os homens, para as outras mulheres, para os filhos delas e para o mundo…

Ajudar a formar meninos bacanas, taí um bom presente para o Dia das Mulheres!

Mãe com Prosa

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade