PUBLICIDADE
Logo do

Dia dos Namorados

Dez mandamentos do relacionamento deixam namoro equilibrado

17 mai 2013
07h11 atualizado às 07h11
0comentários
07h11 atualizado às 07h11
Publicidade

Os relacionamentos amorosos são baseados em construções diárias que envolvem companheirismo, confiança e cumplicidade, além do próprio amor. Assim, para ter um relacionamento equilibrado é preciso estar atento para tudo que pode mantê-lo firme ou desestabilizá-lo.

“Garanto que, enquanto o casal for equilibrado e transportar esse equilíbrio para a relação, certamente ela será influenciada por essa característica”, conta o Dr. Thiago de Almeida, psicólogo e autor do livro “A Arte da Paquera - Inspirações à realização afetiva”. Conheça, agora, os dez mandamentos criados pelo especialista para diminuir as chances de o seu namoro naufragar.

1 - Seja parte do amor que você tanto procura no outro. Faça coisas boas por si, valorize-se, e não busque alguém que preencha carências.

2 - Cultive momentos sozinha sabendo se aproximar e também se afastar do outro. Preservar a individualidade é importante para um relacionamento saudável.

3 - Não exija e não deixe que o outro exija de você exclusão em termos de amigo ou família.

4 - Relacionamentos amorosos não são contos de fada, por isso mantenha os pés no chão diante das limitações que você encontrar no outro.

5 - A relação amorosa não tem a função de preencher vazios como a maioria das pessoas acredita, ou ainda solucionar a vida de qualquer um.

6 - Por mais temeroso que seja refletir sobre isso, o fato de se assumir o compromisso de viver com uma pessoa deveria comportar uma decisão fundamentada, talvez, nos efêmeros sentimentos do momento e nada mais que isso.

7 - Não se podem antever nem manipular os acontecimentos futuros de modo que eles coincidam com as nossas melhores expectativas somente porque assim queremos.

8 - O outro pode ser suporte, mas não o tenha como uma tábua de salvação pessoal. Contenha a sua ansiedade e veja se não está confundindo a figura do namorado com um pai, mãe ou mesmo um psicólogo.

9 - Não use o outro como seu projeto pessoal querendo que ele abandone seus gostos, hábitos ou vícios porque você acredita que isso significa uma demonstração do quanto você é especial na vida dele.

10 - Seja uma pessoa empática, coloque-se no lugar do outro nas mais diversas situações para entendê-las sob o ponto de vista dele e não deixe que as suas referências se sobreponham aos referenciais dele. Procure seguir sempre o meio termo.

Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade