PUBLICIDADE

SPFW: dark flower, grunge renovado e rosa 2000 na passarela

18 nov 2021 20h01
ver comentários
Publicidade

O estilista Weider Silveiro, egresso da Casa de Criadores, estreou presencialmente no SPFW nesta quinta-feira (18), após ter se apresentado de forma digital na edição passada. No camarim, ele não escondia o nervoso. "Na Casa de Criadores, dividia a passarela com mais estilistas, aqui não.", confidenciou ao "Elas no Tapete Vermelho".

Desfile foi inspirado no rock dos anos 1980 e 1990
Desfile foi inspirado no rock dos anos 1980 e 1990
Foto: Rosângela Espinossi / Elas no Tapete Vermelho

Mesmo com atraso de uma hora, o desfile presencial deu certo, com sua inspiração no rock dos anos 1980 e 1990, em que veio um grunge suavizado, com xadrez, mangas compridas, tricô e malhas em peças que ora vinham mais amplas, ora mais secas. Um pé nos anos 2000 também apareceu com o rosa à la Paris Hilton, personalidade cujo estilo tem marcado tendência atualmente, dentro da tendência Y2K.

O inverno 2022 do estilista vem ainda com estampas de flores sobre fundo escuro. A chamada dark flower, que tem voltado com tudo e conquistado o coração de várias famosas. O próprio Weider já havia trazido uma versão da estampa na edição passada. Sinal que vai ficar por um tempo, incluindo nas meias três quartos com sandálias, que também marcaram presença na coleção.

Na passarela, casacos amplos, vestidos, algumas peças com corset estruturado
Na passarela, casacos amplos, vestidos, algumas peças com corset estruturado
Foto: Rosângela Espinossi / Elas no Tapete Vermelho

O destaque fica ainda para as peças oversized e proporções geométricas. Na passarela, casacos amplos, vestidos, algumas peças com corset estruturado. Modelos gordas também exibiram as peças, provando que a moda está cada vez mais democrática. Ah, e nervoso antes do desfile culminou na entrada do estilista na final, que quase não conteve as lágrimas.

Elas no Tapete Vermelho
Publicidade
Publicidade