2 eventos ao vivo

Moda

L'Oréal demite top transgênero por comentários sobre brancos

Facebook / Reprodução
1 set 2017
14h55
atualizado às 16h13
  • separator
  • comentários

A gigante de cosméticos francesa L'Oréal demitiu sua primeira modelo transgênero a aparecer em uma campanha britânica depois de ela descrever todas as pessoas brancas como racistas no Facebook.

No dia 27 de agosto, Munroe Bergdorf, que mora em Londres, anunciou em sua página de Facebook que faria parte da nova campanha de anúncios da marca francesa celebrando a diversidade.

Em uma mensagem online que mais tarde parece ter sido apagada nesta sexta-feira, Bergdorf disse, de acordo com o jornal Daily Mail: "Honestamente não tenho mais energia para falar sobre a violência racial das pessoas brancas. Sim, TODAS as pessoas brancas"

A unidade britânica da L'Oréal disse em sua página de Twitter que decidiu encerrar o contrato: "A L'Oréal defende a diversidade. Os comentários de Munroe Bergdorf não combinam com nossos valores, e por isso decidimos encerrar nossa parceria com ela".

Em uma postagem feita em sua página nesta sexta-feira, Bergdorf criticou a matéria do Daily Mail e tentou defender seus comentários, que afirmou terem sido uma reação à violência de supremacistas brancos em Charlottesville, nos Estados Unidos.

"Quando eu afirmei que 'todas as pessoas brancas são racistas', eu abordava o fato de que a sociedade ocidental como um todo é um SISTEMA radicado na supremacia branca - concebido para beneficiar, priorizar e proteger as pessoas brancas antes de qualquer outra raça", disse.

Escritórios da L'Oreal em Clichy, França 
12/2/2015 REUTERS/Christian Hartmann
Escritórios da L'Oreal em Clichy, França 12/2/2015 REUTERS/Christian Hartmann
Foto: Christian Hartmann / Reuters

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade